09 de agosto de 2022
Brasil • atualizado em 13/02/2020 às 01:25

Polícia envia perguntas para Temer, que tem 24 horas para responder

Michel Temer (PMDB).
Michel Temer (PMDB).

A Polícia Federal entregou ao advogado do presidente Michel Temer um questionário sobre o inquérito em andamento no STF (Supremo Tribunal Federal).

Continua após a publicidade

O presidente tem 24 horas para responder e tem o direito de ficar em silêncio -contando a partir das 16h30 desta segunda (5).

O horário de devolução das perguntas será perto do início da retomada do julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Os ministros vão decidir a partir desta terça (6), 19h, se vão cassar a chapa presidencial de 2014, formada por Dilma Rousseff-Michel Temer, o que pode levar ao afastamento do presidente.

Continua após a publicidade

De acordo com investigadores, a maioria das perguntas é referente ao áudio gravado secretamente pelo empresário Joesley Batista, dono da JBS, em 7 de março.

Temer é investigado por suspeita de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução de Justiça.

Em seu inquérito também está o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), preso no último sábado por determinação do ministro Edson Fachin.

Constrangimento

A defesa de Temer acredita que o envio das perguntas um dia antes do início do julgamento do TSE tem o objetivo de “constranger” e “influenciar” a corte a condenar o presidente.

À Folha de S.Paulo o advogado de Temer no TSE, Gustavo Guedes, disse no domingo (4) que era “legítimo” que a mesma agilidade em pedir que o presidente fosse ouvido fosse aplicada no envio das perguntas. “Querem enviar na segunda, para dar as 24 horas na terça, às 19h, quando começa o julgamento?”, questionou o advogado. (Folhapress)

Leia mais:

 

 

 

Leia mais sobre:
Brasil