13 de julho de 2024
Racismo

Polícia Civil investiga caso de racismo em aplicativo de entrega em Goiânia: “Mandem entregador branco”

De acordo com a dona da confeitaria, após efetuar a entrega, o entregador disse que o pedido foi recebido por duas mulheres
A Polícia Civil investiga o caso. (Foto: Divulgação)
A Polícia Civil investiga o caso. (Foto: Divulgação)

Mais um caso de racismo envolvendo aplicativo de entrega é registrado em Goiânia. Dessa vez, ao solicitar bolos no pote de uma confeitaria da capital, o cliente colocou como exigência no recibo, que o entregador fosse branco.

“Por favor, mandem um entregador branco, não gosto de pretos nem pardos. Venham rápido”, diz observação.

A dona da cconfeitaria conta que ficou indignada e revoltada quando leu a observação deixada pelo cliente. ”amente constrangedor e desumano. Fiquei tão desconcertada que até pedi desculpas para o motoqueiro quando ele veio buscar o pedido”, disse.

De acordo com a proprieária, após efetuar a entrega, o entregador disse que o pedido foi recebido por duas mulheres. “Ele veio contar que elas disseram que o pedido era delas, mas que não haviam escrito aquela mensagem. Parece que uma disse que foi o marido, depois disse que não foi. Não explicaram direito”, relata a empresária.

O delegado Joaquim Adorno, do Grupo Especializado no Atendimento às Vítimas de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Geacri), informou que não recebeu nenhuma denúncia diretamente, mas que o caso será investigado pela Polícia Civil.

Em nota, o iFood disse que “repudia qualquer ato de discriminação” e que irá “iniciar um processo de investigação interno para que as devidas providências sejam tomadas. Leia na íntegra:

O iFood lamenta o caso e reforça que repudia qualquer ato de discriminação. A empresa preza por relações e ambientes seguros e livres de assédios, preconceitos e intimidação em todas ações que realiza, sempre baseado em respeito, conforme os valores presentes em seu Código de Ética e Conduta.

Por conta desse episódio, vamos iniciar um processo de investigação interno para que as devidas providências sejam tomadas, incluindo o descadastramento do cliente.

O iFood ressalta a importância de que sejam registrados em Boletins de Ocorrência junto às autoridades de segurança pública e segue à disposição para colaborar com as investigações, caso seja solicitada.

Diariamente entregadores de aplicativos sofrem agum tipo de discriminação em Goiânia

Casos de racismo, injúria racial, homofobia e vários outros contra entregadores de aplicativos, vem sendo registrados com frequência em Goiânia. Outro caso similar aconteceu no dia 20 de janeiro, quando o entregador de aplicativo Cleiton Cruvinel, de 41 anos, foi alvo de comentário racista ao realizar uma entrega a um cliente de um condomínio localizado no setor Vila Alpes, em Goiânia.

Após deixar a entrega, o cliente, um adolescente de 15 anos, foi até a plataforma e escreveu como justificativa: ”Entregador negro”. Na ocasião, de acordo com Cleiton, no momento da entrega ele sentiu indiferença no olhar do cliente, e quando retornou a lanchonete, tomou conhecimento do comentário deixado no chat do aplicativo.

O Diário de Goiás repercurtiu o ocorrido na época e conversou com representante da classe. Marcione Luiz disse, a nossa reportagem, que diariamente acontece algum tipo de discriminação com entregadores de aplicativos em Goiânia.

Ainda de acordo com Marcione, além de racismo, muitos entregadores de aplicativos sofrem todo e qualquer tipo de preconceito como também por exemplo, ataques homofóbicos.

Leia também:


Leia mais sobre: / / / / Goiânia

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.