14 de agosto de 2022
Segundo mandato • atualizado em 02/08/2022 às 18:00

Plano de governo de Ronaldo Caiado deve focar em consolidar o que já foi feito, diz Daniel Vilela

Pré-candidato a vice citou avanços em áreas como saúde, educação e programas sociais, mas afirmou que é preciso ir além
Daniel Vilela disse que sua decisão de deixar a oposição a Ronaldo Caiado representou "maturidade política" (Foto: Divulgação)
Daniel Vilela disse que sua decisão de deixar a oposição a Ronaldo Caiado representou "maturidade política" (Foto: Divulgação)

O presidente do MDB em Goiás, Daniel Vilela, afirmou, durante entrevista à Rádio Bandeirantes, nesta terça-feira (02/08), que o plano de governo para um eventual segundo mandato do governador Ronaldo Caiado (União Brasil), de quem é pré-candidato a vice, deve focar na consolidação do que já foi feito.

“Penso que o governo conseguiu, a partir do terceiro ano, realizar uma série de ações importantes em várias áreas. Isso precisa se consolidar”, disse. Segundo ele, quatro anos não são suficientes para colocar tudo em prática, “ainda mais nas condições financeiras que recebeu”.

Daniel citou especificamente três áreas. Na avaliação do emedebista, Goiás “avançou absurdamente” na regionalização da saúde, é referência na educação e instituiu programas sociais importantes, mas é preciso ir além.

Continua após a publicidade

O pré-candidato a vice-governador na chapa governista argumentou que há condições para, por exemplo, aumentar a média do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e, no caso dos programas sociais, criar uma “porta de saída” por meio da geração de emprego para famílias mais vulneráveis.

Convenção

Em relação à convenção partidária a ser realizada em conjunto por União Brasil e MDB, na sexta-feira (05/08), Daniel destacou que a expectativa é justamente “dar um pontapé inicial nesse projeto” de reeleição a fim de continuar com a “mudança das práticas políticas e administrativas do estado”.

Continua após a publicidade

Para o emedebista, sua decisão de sair da oposição, há cerca de um ano, foi acertada e representou uma “maturidade política”. “Precisamos estar unidos para enfrentar os desafios econômicos e do pós-pandemia vividos pelo país.”

Senado

Daniel também comentou sobre o cenário com candidaturas isoladas a senador pela base caiadista. “É uma eleição inédita nesse aspecto. Espero que todos os candidatos possam apresentar sua qualificações. Os goianos estão ansiosos por uma representatividade protagonista no Senado.”