24 de junho de 2024
Greve

Pilotos e comissários suspendem greve à véspera do Natal

Os pilotos e comissários pedem reposição da inflação acumulada pelo INPC e aumento real de 5%
Movimentação de aviões comerciais no aeroporto de Brasília. (Foto: Divulgação)
Movimentação de aviões comerciais no aeroporto de Brasília. (Foto: Divulgação)

O Sindicato Nacional dos Aeronautas, que reúne pilotos, co-pilotos e comissários de bordo, decidiu suspender na noite desta sexta-feira (23), a greve às vésperas de Natal. Durante a suspensão, será avaliada a nova proposta apresentada pelas companhias aéreas, mantendo os valores de reajuste anteriormente apresentados e acrescentando outros benefícios.

Os trabalhadores rejeitaram em votação virtual realizada no último fim de semana a proposta apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST). Entre os 5,7 mil votantes, 76,4% rejeitaram o oferecido pela mediação do tribunal. Os pilotos e comissários pedem reposição da inflação acumulada pelo INPC e aumento real de 5%. A primeira proposta das empresas aéreas previa aumento real de 0,5%.

Por outro lado, o sindicato das empresas aéreas diz que o preço das passagens foi impactado por conta da pandemia da Covid-19, a desvalorização do real frente ao dólar e pelo conflito entre Ucrânia e Rússia, ocasionando aumento no petróleo.

Liminar

Na última sexta-feira (16), a ministra do TST Maria Cristina Peduzzi determinou que deve ser garantido o mínimo de 90% de pilotos e comissários em serviço durante a greve. A decisão foi motivada por uma ação do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea). 

Na decisão, a ministra negou o reconhecimento da abusividade da grave, mas determinou que deve ser mantido percentual mínimo de aeronautas em serviço.


Leia mais sobre: / / Geral

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.