27 de junho de 2022
Destaque

Pesquisa prevê fim da epidemia de Covid-19 no Brasil em setembro

Pessoas caminham com máscaras em SP. (Foto: Guilherme Gandolfi/Fotos Públicas)
Pessoas caminham com máscaras em SP. (Foto: Guilherme Gandolfi/Fotos Públicas)

Um estudo do Data-Driven Innovation Lab prevê que o período de epidemia de Covid-19 terminará no dia 17 de setembro. Segundo o mesmo modelo matemático, o pico de contaminação da doença em território brasileiro se dará neste fim de semana.

O modelo matemático faz um monitoramento contínuo e atualiza as previsões diariamente. Os próprios criadores admitem que existe possibilidade de erros e que a pesquisa pode não ter exatidão. “Modelo e data são imprecisos devido à complexidade da pandemia, à evolução e heterogeneidade da realidade de cada país. Previsões são incertas por natureza. Leitores devem tomar cuidado. Um super-otimismo com as previsões das datas pode levar à redução da disciplina e controle do vírus e da infecção”, alertam os pesquisadores.

De acordo com o modelo, os contágios no Brasil serão reduzidos em 97% até o dia 11 de junho. No dia 24 de junho, esse número subirá para 99%. A pesquisa leva em conta o número de novos casos registrados diariamente. No último boletim, o país teve o recorde de novos casos, com mais de 7 mil em 24 horas.

Continua após a publicidade

Previsões para o mundo

Segundo o Data-Driven, a pandemia terminará no dia 4 de dezembro em todo o planeta. O modelo prevê uma redução de 97% no contágio em 31 de maio e de 99% em 18 de junho.

Nos Estados Unidos, país mais atingido pela Covid-19, o modelo prevê o fim da epidemia em 20 de setembro. Na Itália, antigo epicentro da contaminação, a data seria 4 de setembro. A Espanha, que impôs duríssimas restrições, veria o pesadelo acabar em 5 de agosto. Os austríacos, que também controlaram a disseminação, veriam o fim da contaminação já em 13 de junho.

Continua após a publicidade