24 de maio de 2022
Política

Perillo diz que Estados já fizeram ajustes possíveis

Decisão de governo altera cronograma de pagamento de salários (Foto: Governo de Goiás)
Decisão de governo altera cronograma de pagamento de salários (Foto: Governo de Goiás)

Cuiabá – Durante encontro dos governadores do Brasil Central, que contempla a região Centro-Oeste, Tocantins e Rondônia, em Cuiabá, o governador de Goiás, Marconi Perillo, afirmou que os Estados estão fazendo ajuste fiscal em suas contas. “Já fizemos os ajustes possíveis e imagináveis no custeio”, disse em nome de todos os governadores.

Continua após a publicidade

Segundo o governador, os ajustes promovidos pelo governo federal têm o apoio dos Estados, mas ressaltou que os problemas de receita não são apenas no governo federal. “Todos os Estados estão com menos receitas”, ponderou.

Com a presença do ministro de Assuntos Estratégicos, Mangabeira Unger, que está apoiando a ação dos Estados, os governadores estão trabalhando para a aproximação da região. “O governo federal vai apoiar o movimento regional”, disse o ministro.

Com o encontro do próximo mês já marcado para acontecer em Tocantins, um dos fatores que unem os Estados do bloco e fomenta as discussões é a economia da região. “O Brasil central é o que dá certo e gera superávit exportador”, afirmou o governador de Goiás.

Continua após a publicidade

O governador do Mato Grosso, Pedro Taques, disse ainda que o objetivo do encontro é identificar as potencialidades dos Estados e que as ações promovidas são a favor e não contra o País.

As discussões começaram na quinta-feira, 6, com reuniões dos secretários de Planejamento e de Fazenda dos Estados. Os governadores estão reunidos e almoçarão juntos na sede do governo do Mato Grosso.

Cuiabá, 07/08/2015 – A ausência do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, foi sentida pelos governadores do Centro-Oeste, além de Tocantins e Rondônia, que estão reunidos em Cuiabá (MT) para discutir problemas dos Estados.

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, chegou a brincar ao ser perguntado sobre os prejuízos da ausência de Levy para as discussões. “Até ontem à noite ele vinha, hoje de manhã chegou um fax ou um WhatsApp falando que ele não poderia vir. Deve ter acontecido alguma coisa”, disse.

O governador de Goiás, Marconi Perillo, pediu a palavra para reafirmar que Levy demonstrou interesse em participar do encontro e foi convidado formalmente. Os governadores ressaltaram que, com a presença de Levy, “o debate ficaria mais completo”.

Convidado pelo governador Taques, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, confirmara ontem à tarde presença no encontro. No início da madrugada, porém, o ministro desistiu de ir ao evento. A participação na reunião, cujo convite foi feito na semana passada durante encontro com a presidente Dilma Rousseff, seria uma ótima oportunidade para Levy convencer os políticos a apoiar a reforma do ICMS, principal imposto cobrado pelos Estados.

A região tem se mostrado reticente em prosseguir com as propostas da Fazenda porque considera que é preciso ter garantias mais claras de que haverá recursos nos dois fundos que serão criados para compensar as perdas com a reforma.

(Estadão Conteúdo)

Leia mais sobre:
Política