16 de abril de 2024
IMPACTO NO BOLSO

Pedágios das BRs 060 e 153 serão reajustados em 6,35% a partir de zero hora de segunda-feira

ANTT aprovou reajuste com base no IPCA e por determinação da Justiça Federal; onze praças terão novo valor cobrado; veja tabela
Praça de pedágio da concessionária em Goiás onde novas tarifas entrarão em vigor - Foto: divulgação / Triunfo Concebra
Praça de pedágio da concessionária em Goiás onde novas tarifas entrarão em vigor - Foto: divulgação / Triunfo Concebra

As tarifas de pedágios das 11 praças sob concessão da Triunfo Concebra, nas rodovias BR-060, BR-153 e BR-262, serão reajustados em 6,35%. O reajuste vale a partir de 0h de segunda-feira (19). Os trechos pedagiados ficam no Distrito Federal, Goiás e Minas Gerais.

O novo valor foi aprovado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) com base na variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A variação considerada foi entre dezembro de 2021 até janeiro de 2023. Desde o ano passado o Ministério Público Federal tentava impedir esse reajuste.

Confira os novos valores para cada praça – Imagem: reprodução Triunfo/Concebra

Os novos valores atendem determinação da Justiça Federal sobre a continuidade da prestação dos serviços de manutenção, conservação, operação e monitoramento nas BRs-060, 153 e 262.

Variação dos pedágios que serão reajustados

O preço do pedágio varia se o veículo for motocicleta, carro de passeio, caminhão e ônibus e os que têm eixo adicional (bitrens, por exemplo). Para caminhões e ônibus a tarifa varia entre R$ 10,80 e R$ 19,00.

Além disso, a tarifa altera conforme o local do pedágio. Uma motocicleta, por exemplo, paga R$ 2,70 em Goianápolis, R$ 3,70 em Alexânia, R$ 3,95 em Professor Jamil e R$ 4,75 em Itumbiara.

Itumbiara, inclusive, é onde o pedágio é mais caro para todos os demais (carros, caminhões, ônibus e eixos adicionais) no trecho da BR153 sob concessão da Triunfo Concebra em Goiás.


Leia mais sobre: / / Economia / Notícias do Estado

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.