23 de maio de 2022
Eleições 2012

Paulo Garcia alcança 56,3% dos votos válidos e pode vencer no 1º turno, diz a pesquisa Fortiori/Jornal Opção

Na pesquisa Fortiori/Jornal Opção, o prefeito e candidato à reeleição, Paulo Garcia(PT)  alcança 56,3% dos votos válidos, ou seja, excluindo votos nulos e brancos, como segue a Justiça Eleitoral. Com uma margem de erro de 4 pontos porcentuais, o cenário da pesquisa é de vitória no primeiro turno, com uma margem razoável de segurança, para o candidato petista. O Diário de Goiás mostra mais detalhes da pesquisa.

Continua após a publicidade

Na estimulada, Paulo Garcia obteve 43,5% enquanto praticamente 30 pontos atrás está o candidato a prefeito do PTB, Jovair Arantes, com 13,3%.


 LEIA MAIS DETALHES da pesquisa conforme publicado no Jornal Opção, desta semana, com texto de Elder Dias:

Nada parece abalar o caminho do prefeito Paulo Garcia (PT) rumo à reeleição. E em primeiro turno. Pelo menos é o que apontam os números da pesquisa Fortiori/Jornal Opção, realizada no período de 12 a 14 de setembro (de quarta-feira a sexta-feira da semana passada). Na apuração do instituto, o petista tem 43,5% das intenções de votos e, se a eleição fosse realizada neste momento, seria eleito já no dia 7 de outubro, com certa folga: 56,3% dos votos válidos, diante da somatória de 43,7% dos demais sete candidatos — na apuração utilizada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), descartam-se votos nulos e em branco. A pesquisa entrevistou 600 pessoas e tem margem de erro de quatro pontos porcentuais para mais ou para menos.

Continua após a publicidade

Assim como na maioria dos levantamentos de outros institutos, o Fortiori também aponta uma diferença de cerca de 30 pontos porcentuais entre Paulo Garcia e seu rival mais próximo, Jovair Arantes (PTB), que tem 13,3%. O que chama a atenção é que o índice do petista sobe para bem além dos 40 pontos, que era o teto de até então, indicando para um maior crescimento na reta final da campanha.

É esse dado que causa o maior efeito sobre outra tabela — a dos votos válidos. Nesta, o índice de Paulo Garcia ultrapassa a margem de erro, o que dá garantias de que já tem condições seguras para garantir uma eleição sem segundo turno. Constatação interessante, também, é a de que, com os números da pesquisa, mesmo se todos os votos dos hoje indecisos fossem dados a seus adversários, a soma de intenções de voto ao prefeito ainda seria superior.

A equipe de Jovair Arantes, por seu lado, pode pensar de duas formas — aquela história da boa e da má notícia. A boa é que o candidato já dobrou o número de intenções de voto desde o início da campanha eleitoral, no começo de julho. Mais de dois meses, portanto. A parte ruim é que agora faltam 20 dias de campanha para dobrar novamente o índice atual e criar a possibilidade de um segundo turno cada vez mais improvável. Isso sem contar que Jovair precisa lutar contra algo que pesa contra si: a alta rejeição, fator que invariavelmente o afetaria de forma grave na hipótese de um segundo turno.

Algo que pode se chamar de surpreendente é o desempenho de Elias Júnior. O deputado estadual do PMN, que ganhou fama e mandato graças à aparição no programa da TV Record “Balanço Geral”, comandado pelo jornalista Oloares Soares, tem mantido um índice bastante satisfatório de intenções de voto, principalmente tendo em vista sua estrutura de campanha e o fato de ser de um partido nanico, com uma coligação modesta e tempo reduzido na TV e no rádio para propaganda eleitoral. Elias Júnior alcança, em boa parte, a fatia do eleitorado de seu colega de profissão, o também comunicador e deputado Sandes Júnior (PP). Mantendo os mesmos números até as urnas, conseguirá já um grande feito particular.

Outro que deu uma relativa arrancada foi Simeyzon Silveira (PSC), que ultrapassou a barreira dos 5% das intenções e alcançou o 4º lugar. O índice pode ser — isso não está tão claro ainda — consequência da companhia constante em seu horário eleitoral dos pesos pesados da política Ronaldo Caiado (DEM) e Vanderlan Cardoso (sem partido). Para eles, a candidatura de Simeyzon é um interessante experimento de laboratório com vistas à eleição de 2014. Se os resultados já são positivos — e para quem —, somente uma acurada avaliação interna poderá estabelecer.

Já Isaura Lemos (PCdoB) tem demonstrado que lhe faltará fôlego para a reta final. Em entrevista ao Jornal Opção, ela mesma admitia que a falta de estrutura para a campanha sempre foi seu calcanhar de Aquiles nas disputas majoritárias.

Aos demais candidatos — Reinaldo Pantaleão (PSOL), Rubens Donizzeti (PSTU) e José Netho (PPL) —, o cenário é de completar a campanha levando a mensagem e “fazendo seu comercial”. Ganham relativa projeção para eleições futuras, embora seus partidos não possam lhes garantir nem mesmo a segurança de uma disputa competitiva por uma cadeira no Poder Legislativo”

METODOLOGIA E REGISTRO/ IMAGEM REPRODUZIDA DO JORNAL OPÇÃO

 

ESPONTANEA – REPRODUZIDA DO JORNAL OPÇÃO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

VOTOS VÁLIDOS-IMAGEM REPRODUZIDA DO JORNAL OPÇÃO

Leia mais sobre:
Eleições 2012