15 de junho de 2024
Reinauguração • atualizado em 31/05/2024 às 11:46

Patrimônio centenário, Igreja Matriz de Aparecida será entregue restaurada neste domingo (2)

A solenidade de entrega da restauração do Santuário Nossa Senhora Aparecida contará com missa e show católico
A Igreja Matriz de Aparecida passou por um ano e meio de restaurações. Foto: Jhonney Macena
A Igreja Matriz de Aparecida passou por um ano e meio de restaurações. Foto: Jhonney Macena

A Igreja Matriz de Aparecida de Goiânia, Santuário Nossa Senhora Aparecida, passou por obras de restauração e será entregue de volta para uso da população aparecidense neste domingo (2), após um ano e meio. O Santuário centenário de estrutura colonial é um símbolo histórico e cultural da cidade. A solenidade acontecerá às 18h, com missa e show católico.

A Matriz de Aparecida completou 102 anos de fundação no dia 11 de maio, mesma data do aniversáio de Aparecida de Goiânia. Na programação de retorno das atividades no Santuário estão a Missa de Ação de Graça, presidida pelo arcebispo metropolitano de Goiânia, Dom João Justino, e show do cantor católico Diego Fernandes. A solenidade ainda terá participação de autoridades políticas, como o prefeito de Aparecida, Vilmar Mariano e contará com apresentação musical da dupla Lourenço e Lourival, na Praça Matriz.

Obras

A obra de restauro foi projetada pela Tramela Arquitetura e Engenharia e executado pela Marsou Engenharia. O projeto de restauração das características físicas e patrimoniais da igreja, com melhorias na parte elétrica, hidráulica, estrutural e de conservação do monumento teve aprovação e fiscalização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em Goiás.

Além das intervenções de restauração, foram realizadas modernizações das instalações, com implantação de sistema de drenagem para evitar infiltrações. Também foi desenvolvido sistemas de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA), de combate a incêndio e de segurança.

Restauração completa

Para realizar todas as intervenções de restauração foram avaliados por uma empresa especializada os aspectos históricos, artísticos, ambientais e antrópicos que influenciam o estado de conservação da igreja. Os investimentos totais das obras na Igreja Matriz foram de cerca de R$ 2,2 milhões, com R$ 900 mil de recurso próprio da prefeitura de Aparecida e R$ 1,3 milhão proveniente de emendas parlamentares, sendo R$ 1 milhão do deputado federal Professor Alcides e R$ 300 mil do então deputado federal Francisco Jr, atual presidente da Codego.

No processo foram preservados mobiliário, altar, portas e janelas, mas, cerca de 40% do piso precisou ser substituído devido ao desgaste. O trabalho de escavação em volta dos 26 pilares da Igreja mostrou a necessidade de reparação. Todos os pilares, fincados a 2 metros no solo, estavam corroídos pelo tempo e por cupins. Por orientação técnica, as vigas originais foram aproveitadas e para dar sustentação estrutural foi feita uma espécie de prótese na parte dos pilares que fica sob a terra.

Monumento Histórico

O Santuário Nossa Senhora Aparecida tem capacidade para 300 pessoas sentadas e chama a atenção pela imponência. Com detalhes em branco e azul, sua estrutura colonial foi erguida pelo carpinteiro João Batista de Toledo. A construção do monumento teve início em 1922 e a primeira missa presidida em seu interior aconteceu em 1924. Em frente à igreja ainda está preservada a cruz de aroeira cravada pelos seus fundadores, que também passou por restauração.

Reconhecida como Monumento Histórico e Cultural pela Lei nº 564, de 16 de dezembro de 1985, a igreja colonial conta com uma estrutura de alvenaria de tijolo maciço-adobe e elementos em madeira-aroeira, incluindo o piso. Suas características arquitetônicas não apenas narram o passado, mas proporcionam uma apreciação às origens do Município, revelando a devoção e a arte que moldaram a cidade ao longo do tempo.


Leia mais sobre: / / / Aparecida de Goiânia / Cidades

Luana Cardoso

Luana

Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Editora da coluna Crônicas do Diário. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa. Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024.