16 de julho de 2024
IMPOSTOS ATRASADOS • atualizado em 22/06/2024 às 15:17

Parcelamentos de ICMS, IPVA e ITCD de 30 mil contribuintes vencem na terça-feira, 25

Parcelas de junho de débito renegociado de ICMS, IPVA e ITCD correspondem a R$ 55,5 milhões
Mais de 30 mil contribuintes renegociaram dentro do programa - Foto: Secom Goiás / Denis Marlon
Mais de 30 mil contribuintes renegociaram dentro do programa - Foto: Secom Goiás / Denis Marlon

Quem aderiu ao Programa de Regularização Fiscal Negocie Já, deve ficar atento porque vence na próxima terça-feira (25) a parcela de junho dos débitos renegociados. Mais de 30 mil contribuintes renegociaram dentro do programa. Com isso, foram beneficiados em negociações sobre Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos (ITCD).

No total, são R$ 55,5 milhões, valor relativo a 38,7 mil parcelas geradas após negociações dentro do programa.

Na mesma data, mais de 20 mil contribuintes com parcelamentos ativos após adesão ao programa de regularização fiscal Negocie Já, também têm de efetuar o pagamento.

Lançado pela Secretaria da Economia em abril, o programa permite que os contribuintes parcelem o débito de ICMS em até 120 vezes e o IPVA e ITCD em até 60 parcelas.

“Para quem aderiu no primeiro mês, no dia 25 de junho vencerá a terceira parcela. Aqueles que entraram no Negocie Já em maio devem pagar a segunda parcela da renegociação”, alerta o superintendente de Recuperação de Crédito, Fabiano Gomes de Paula.

Como emitir o documento

Para emitir o documento de arrecadação (Dare), o contribuinte deve acessar o site da secretaria, clicar no ícone Pagar ou Parcelar Tributos/Parcelamento/Emitir Parcela.

Clique aqui e siga os passos acima!

Também é possível emitir o boleto por meio do aplicativo EON – Economia Online.

Atualmente, a carteira de créditos da Secretaria da Economia conta com mais de R$ 2,15 bilhões, com total de 650,5 mil parcelas. O gerente de Processos e Cobrança, Fabrício Augusto dos Passos, lembra que o contribuinte perde o acordo de negociação se não houver pagamento de três parcelas, consecutivas ou não.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Economia