21 de maio de 2022
Cidades

Paralisação na Segurança: IML liberará corpos somente após as 8 horas desta quinta (10)

A liberação de corpos no Instituto Médico Legal está suspensa nesta quarta-feira (9). Categorias da Segurança Pública paralisaram as atividades até às oito horas desta quinta (10) e fazem a chamada Operação Produtividade Zero. Retirada de corpos só estão sendo feitas com a requisição por parte dos delegados.

Retirada de Corpos

De acordo com a Diretora do Sinpol e Auxiliar de Autópsia do IML, Eliete Ribeiro de Souza Jackson, no dia a dia, os profissionais que trabalham no Instituto Médico Legal são informados que há a necessidade de se recolher corpos antes da requisição oficial por parte de um delegado de polícia.

Continua após a publicidade

Segundo a sindicalista, até o fim da paralisação a retirada de corpos só ocorrerá após a entrega da requisição na sede do IML, no caso de Goiânia, situada na Cidade Jardim.

“Os auxiliares de autópsia, após receberem requisição do delegado, no IML de posse desta requisição em mãos se dirigirão aos locais onde houver crimes, acidentes de trânsito, homicídio, suicídio, morte a esclarecer. Nestes locais faremos a remoção sem a perícia, pois os peritos estão dentro do Instituto de Criminalístico paralisados. Levaremos os corpos para o IML”, explica a diretora.

Liberação

Continua após a publicidade

A liberação dos corpos deverá ocorrer somente após o fim da paralisação. Os corpos ficarão aguardando numa câmara fria. Também estão suspensos os procedimentos de necropsia, exames de Corpo de Delito e DPVAT.

Ainda na manhã desta quarta, já havia dois corpos que chegaram ao IML pela madrugada e serão liberados somente após as oito horas da manhã.

Motivos

De acordo com a auxiliar de autópsia, a paralisação é uma forma de protestar contra o governo pelo fato de não ter efetuado o pagamento da parcela da Data-Base prevista para algumas categorias para novembro e para outras em dezembro.

“Infelizmente temos que mostrar nossa insatisfação. A população é a maior sofredora neste processo, mas nós também somos população, também somos atingidos, lutamos pela valorização e cumprimento do acordo”, destaca.

Ação Social

Durante a paralisação, um grupo de servidores optou por ir ao Hemocentro e fazer doação de sangue.

Leia mais sobre:
Cidades