10 de agosto de 2022
Esportes

Palmeiras busca empate no fim com o Atlético-MG e vai inflamado para decisão

Foto - César Greco (Palmeiras)
Foto - César Greco (Palmeiras)
Por Almir Leite

O Palmeiras mostrou mais uma vez que é um dos melhores, senão o melhor, time do Brasil. Perdia por 2 a 0 para o Atlético-MG no Mineirão, nesta quarta-feira, mas buscou o empate, com um gol nos acréscimos, e agora basta vitória simples em casa, na próxima quarta, no Allianz Parque, que estará na semifinal da Libertadores.

Os dois times entraram em campo mais preocupados com a marcação. O Palmeiras procurava impedir as subidas dos laterais atleticanos, com Dudu e Scarpa fechando os espaços, e também evitar a saída de bola dos mineiros. Quando eles conseguiam passar, encontravam a defesa palmeirense bem posicionada.O Atlético também tinha suas precauções. Otávio, por exemplo, não deixava Raphael Veiga respirar. Mariano e Rubens marcavam forte quem caia por seus setores.

Porém, com o passar do tempo, a intensidade do Atlético começou a colocar o Palmeiras em dificuldades. O time de Cuca tinha mais posse de bola, movimentava-se melhor, e como consequência criava boas chances de gol. Keno teve duas boas oportunidades, Zaracho errou uma cabeçada, Ademir acertou a trave após o Atlético pegar um rebote de escanteio…

Continua após a publicidade

Ao Palmeiras, acuado, só restava uma alternativa: contra-atacar. Numa dessas ocasiões, Scarpa recebeu pela direita, fez boa jogada, bateu para a defesa parcial de Everson e Piquerez marcou no rebote. Mas o meia estava impedido ao ser lançado e o gol foi anulado.

Para complicar ainda mais a situação do Palmeiras, Marcos Rocha fez pênalti desnecessário em Jair, que estava de costas para o gol. Hulk, justamente que perdera no ano passado contra o Palmeiras em lance que seria fundamental para a eliminação atleticana, desta vez converteu a penalidade. Bateu forte, rasteiro, no canto esquerdo de Weverton, que pulou na bola, mas não conseguiu alcançá-la.

O Palmeiras levou um gol no final do primeiro tempo e levaria outro no início do segundo, com dois minutos. E foi um gol contra, de Murilo, que tocou contra a própria meta cruzamento de Keno, que havia penetrado com facilidade após tabelar com Jair.

Continua após a publicidade

O Palmeiras parecia perdido, com o Atlético em cima, quando o apagado Raphael Veiga sofreu uma falta na entrada da área defendida pelos mineiros. Scarpa cobrou com a habitual categoria, a bola explodiu na trave e, no rebote, Murilo se redimiu, tocando para diminuir o placar.

O Alviverde voltava para o jogo, que ficou mais equilibrado. O Atlético continuava com maior posse de bola, mas já não chegava com tanta facilidade ao gol de Weverton. E os paulistas, com maior pressão, passaram a incomodar. Tiveram chance de ouro mas Dudu, com o gol aberto, errou o alvo. Mas ainda deu tempo de Danilo, nos acréscimos, aproveitar passe de Scarpa após escanteio, empatar e mostrar a força do Palmeiras.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 2 X 2 PALMEIRAS

ATLÉTICO-MG – Everson; Mariano, Nathan, Junior Alonso (Igor Rabelo) e Rubens; Otávio, Jair e Zaracho (Nacho Fernández); Ademir (Pedrinho), Hulk (Alan Kardec) e Keno (Vargas).

Técnico: Cuca

PALMEIRAS – Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Gustavo Gómez, Murilo e Piquerez; Danilo, Zé Rafael e Raphael Veiga (Gabriel Menino); Gustavo Scarpa, Dudu e López (Rafael Navarro). Técnico: Abel Ferreira.

GOLS – Hulk, aos 45min do 1º tempo. Murilo (contra), aos 2, Murilo, aos 13, e Danilo, aos 46 do 2º.

ÁRBITRO – Facundo Tello (Argentina).

CARTÕES AMARELOS – Jair, Mariano

RENDA – R$ 4.232.050,90.

PÚBLICO – 57.140 presentes.

LOCAL: Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

(Conteúdo Estadão)