30 de junho de 2022
Cidades

Descartada suspeita de Coronavírus em paciente internado no HDT

Denúncia da direção causou mal-estar no hospital. (Foto: Arquivo DG)
Denúncia da direção causou mal-estar no hospital. (Foto: Arquivo DG)

Após a verificação seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde, foi descartada a suspeita de Coronavírus em um paciente internado na quarta, 29, no Hospital de Doenças Tropicas.

Em nota a Secretaria de Saúde do Governo de Goiás, explicou que “seguindo os protocolos do Ministério da Saúde, são consideradas suspeitas de contaminação por coronavírus pessoas que apresentem febre e tosse ou dificuldade de respirar e que tenham história de viagem com transmissão local últimos 14 dias ou entraram em contato com pessoas suspeitas, também nos últimos 14 dias. Ou seja, não é qualquer sintoma de gripe ou de problema respiratório que é considerado caso suspeito de coronavírus”.

Ao mesmo tempo, o órgão reforçou que “a SES-GO alerta que se alguma pessoa se enquadrar na definição de caso suspeito, deve procurar o serviço de saúde e informar onde esteve nos últimos 14 dias, para que o profissional possa enquadrá-la, ou não, como caso suspeito da doença. A SES-GO ainda orienta os profissionais de saúde para que, no surgimento de algum caso com essa definição, comuniquem imediatamente a Vigilância Epidemiológica, para que as providências necessárias sejam tomadas”.

Continua após a publicidade

Oficialmente, não há nenhum caso suspeito de Coronavírus em Goiás, mas, independente disso, foi instalado o Centro de Operações Estratégias (COE), por meio de portaria a ser publicada nesta sexta-feira, 31, no Diário Oficial do Estado (DOE). O grupo é composto por equipe multiprofissional, com finalidade de definir e monitorar ações de vigilância epidemiológica, assistência e comunicação.

A primeira reunião do COE foi realizada nessa quarta-feira, 29, com integrantes das Superintendências de Vigilância em Saúde (Suvisa), Atenção Integral à Saúde (Sais) e do Complexo Regulador em Saúde de Goiás; pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, Infraero, Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (Samu), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Saúde.

(Atualizada às 11h52, 30/01/2020)

Continua após a publicidade