27 de junho de 2022
MEC • atualizado em 22/06/2022 às 18:36

Operação que prendeu Milton Ribeiro também mira ex-assessor da Prefeitura de Goiânia

Helder Bartolomeu foi nomeado em maio de 2021, mas nunca apareceu para trabalhar, o que levou à instauração de um processo administrativo
Helder Bartolomeu (segundo à esquerda) durante viagem a Salvador com pastores acusados de corrupção no MEC (Foto: Reprodução/Instagram)
Helder Bartolomeu (segundo à esquerda) durante viagem a Salvador com pastores acusados de corrupção no MEC (Foto: Reprodução/Instagram)

A operação da Polícia Federal que prendeu o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e pastores evangélicos tidos como lobistas também teve um ex-assessor da Prefeitura de Goiânia como alvo.

Em maio de 2021, Helder Diego da Silva Bartolomeu foi nomeado para trabalhar na Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh), mas nunca apareceu para trabalhar. No mês seguinte, foi instaurado processo administrativo por abandono de cargo.

LEIA TAMBÉM: Milton Ribeiro: Entenda por que o ex-ministro foi preso

Continua após a publicidade

LEIA TAMBÉM: Conheça os pastores suspeitos de corrupção no MEC; um deles é de Goiânia

A apuração administrativa, que resultou na exoneração de Helder Bartolomeu, só terminou em maio deste ano, após vir à tona o escândalo sobre pedidos de propina para agilizar a liberação de recursos do Ministério da Educação (MEC).

“Logo que instaurado o procedimento, houve o devido bloqueio de salário, em julho de 2021, o que impediu que fossem realizados pagamentos indevidos. O processo também assegura a devolução de eventual quantia paga”, esclareceu, em nota, a Secretaria Municipal de Administração (Semad), responsável pela folha de pagamento dos servidores.

Continua após a publicidade

Leia mais sobre:
Política