27 de fevereiro de 2024
Justiça

MPGO deflagra nova fase de operação que investiga manipulação em jogos de futebol

É a 3ª fase da Operação Penalidade Máxima que cumpriu dez mandados de busca e apreensão
Além de Goiânia, os mandados estão sendo cumpridos em mais sete cidades e cinco estados. (Foto: reprodução/ilustração)
Além de Goiânia, os mandados estão sendo cumpridos em mais sete cidades e cinco estados. (Foto: reprodução/ilustração)

O Ministério Público de Goiás (MPGO) deflagrou, nesta terça-feira (28), a terceira fase da Operação Penalidade Máxima, com dez mandados de busca e apreensão são cumpridos em oito cidades e cinco estados. A ação investiga a manipulação de resultados em sete partidas de futebol do país em práticas que podem configurar o crime de organização criminosa.

Das sete partidas que são investigadas desta vez, duas são pelo campeonato paraibano de 2023, duas pelo Goianão de 2023, duas são da série B do Brasileirão de 2022 e uma pela série A do brasileirão de 2022, esta sendo o jogo do Avaí X Flamengo, realizada em julho do último ano. Confira todas as partidas investigas abaixo.

  • Avaí x Flamengo, pela Série A do Brasileirão de 2022
  • Náutico x Sampaio Corrêa, pela Série B do Brasileirão de 2022
  • Náutico x Criciúma, pela Série B do Brasileirão de 2022
  • Goiânia x Aparecidense, pelo Goianão de 2023
  • Goiás x Goiânia, pelo Goianão de 2023
  • Nacional x Auto Esporte, pelo campeonato paraibano de 2023
  • Sousa x Auto Esporte, pelo campeonato paraibano de 2023

Além de Goiânia, os mandados estão sendo cumpridos nos municípios em Bataguassu (MS), Campina Grande (PB), Nilópolis (RJ), Santana do Parnaíba (SP), São Paulo (SP), Volta Redonda (RJ) e Votuporanga (SP).

Ainda de acordo com o MPGO, um grupo criminoso aliciou jogadores profissionais ofertando altos valores financeiros para que eles simulem situações como punição com cartões amarelo e vermelho, cometimento de pênalti ou placar parcial na partida, com isso, criminosos lucravam em sites de apostas esportivas.

Vale lembrar que a operação desta terça é desdobramento das outras duas fases da Operação Penalidade Máxima feitas em fevereiro e abril de 2023. Ao todo, três denúncias já foram recebidas pela Justiça, com 32 pessoas acusadas de crimes de integrar organização criminosa e corrupção em âmbito desportivo.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva, por meio de informações do MPGO para embasamento das ações, já chegou a decretar banimento de alguns jogadores envolvidos nas fraudes e suspendeu outro.


Leia mais sobre: Brasil

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.