15 de julho de 2024
Organização Criminosa

Operação Jogo Sujo prende quatro pessoas integrantes de torcidas organizadas, em Goiás

Esta é a quarta operação do tipo deflagrada pela PCGO somente este ano; foram cumpridos também cinco mandados de busca e apreensão
Na Operação Jogo Sujo foram apreendidas camisetas de torcidas organizadas e facas e objetos perfurocortantes usados nas emboscadas. Foto: Divulgação/PCGO
Na Operação Jogo Sujo foram apreendidas camisetas de torcidas organizadas e facas e objetos perfurocortantes usados nas emboscadas. Foto: Divulgação/PCGO

A Polícia Civil de Goiás (PCGO) por meio do Grupo Especial de Proteção ao Torcedor, da Delegacia Estadual de Investigações Criminais, em conjunto com a Polícia Militar de Goiás, deflagrou, nesta terça-feira (18), a Operação Jogo Sujo. O objetivo da ação é cumprir nove mandados contra integrantes e simpatizantes de torcidas organizadas em Goiás, envolvidos em uma série de crimes.

Dos nove mandados expedidos pela Justiça, quatro mandados foram de prisão e cinco de busca e apreensão. Os investigados são suspeitos de crimes de associação criminosa, lesão corporal grave e leve e corrupção de menores. De acordo com a PCGO, o grupo é investigado por emboscadas armadas contra torcidas rivais.

Sequências de operações

Esta é a quarta operação do tipo somente este ano, em Goiás. A última delas, a Operação Contra-Ataque, aconteceu em abril deste ano e prendeu seis integrantes de duas torcidas organizadas rivais, dos times Vila Nova e Goiás.

Os grupos estavam sendo investigados por uma série de emboscadas e ataques recíprocos na região noroeste de Goiânia, durante o Campeonato Goiano de Futebol. De forma semelhante à operação deflagrada nesta terça (18), as investigações para a Operação Contra-Ataque tiveram início a partir de uma emboscada criminosa. No dia 9 de março de 2024, o grupo ligado à torcida Força Jovem do Goiás atacou torcedores vilanovenses que voltavam de uma partida de futebol.

Na ocasião, os torcedores espancaram diversas vítimas com barras de ferro, sendo que uma delas teria sido alvo de um disparo de rojão de foguete na face, tendo sofrido diversas lesões corporais. Em revide, apenas nove dias depois, em 18 de março, no Setor Recanto do Bosque, o grupo criminoso ligado à torcida Esquadrão Vilanovense emboscou torcedores esmeraldinos durante uma partida de futebol amador.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Goiânia

Luana Cardoso

Luana

Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Editora da coluna Crônicas do Diário. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa. Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024.