25 de julho de 2024
Irregularidade • atualizado em 10/07/2024 às 11:38

Operação integrada em Anápolis resgata vítimas de cárcere privado em clínica clandestina

No total, o local mantinha 15 pessoas internadas de forma irregular, sendo muitas delas em situação de cárcere privado
A ação realizada na terça-feira (9) resultou na desinternação de diversos homens que estavam no local em situação degradante. (Foto: PCGO).
A ação realizada na terça-feira (9) resultou na desinternação de diversos homens que estavam no local em situação degradante. (Foto: PCGO).

A Polícia Civil do Estado de Goiás, por meio da 5ª Delegacia Distrital de Polícia de Anápolis, deflagrou operação policial de fiscalização e desinternação em uma clínica de reabilitação clandestina, no bairro residencial das flores, em Anápolis. A ação realizada na terça-feira (9) resultou na desinternação de diversos homens que estavam no local de forma compulsória e em situação degradante.

No total, o local mantinha 15 pessoas internadas de forma irregular, sendo muitas delas em situação de cárcere privado. O estabelecimento funcionava da seguinte forma: familiares contratavam os serviços da clínica e esta providenciava a captura de pessoas, de forma irregular, internando-as compulsoriamente.

A polícia ressaltou que a Lei 11.343/2003- Lei de Drogas, autoriza a internação compulsória apenas de forma excepcional, após formalização por médico responsável, por no máximo 90 dias, e com comunicação imediata da internação ao Ministério Público. Ademais, essa internação compulsória deve ser realizada em estabelecimento hospitalar ou unidades de saúde, vedada a sua realização em clínicas de reabilitação (unidades terapêuticas).

Os crimes cometidos possuem pena que pode ultrapassar 05 anos de reclusão. Os internos foram identificados e acolhidos pela assistência social do município de Anápolis e Gerência de Saúde Mental e serão encaminhados para suas famílias.

A operação teve apoio da Delegacia de Goianápolis, Superintendência de Identificação Humana/PCGO, Polícia Militar, Polícia Científica, Ministério Público, Secretarias Municipal de Saúde e Integração Social, CAPS e Vigilância Sanitária.


Leia mais sobre: / Anápolis / Cidades

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019