30 de novembro de 2023
Tempo • atualizado em 24/09/2023 às 15:12

Onda de calor no Brasil gera consumo recorde de energia, aumento nas internações e até mortes

Em São Paulo, houve grande aumento nos atendimentos ambulatoriais e internações causadas pela exposição ao calor, na comparação com o mesmo período de 2022
Calor deve continuar no Brasil e em Goiás, pelo menos, até quinta-feira (28). (Foto: reprodução)
Calor deve continuar no Brasil e em Goiás, pelo menos, até quinta-feira (28). (Foto: reprodução)

A onda de calor no Brasil já está causando muito caos pelo país. Segundo dados do ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), há um aumento recorde de consumo de energia neste mês de setembro e, para piorar, já há, até mesmo mais atendimentos ambulatoriais, internações e até mortes pelos efeitos de calor.

O Estado de São Paulo, por exemplo, segundo a CNN, registrou nos sete primeiros meses do ano aumento de 102,5% nos atendimentos ambulatoriais e internações causadas pela exposição ao calor, na comparação com o mesmo período de 2022. Foram cinco óbitos no período. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde nesta sexta-feira (22), semana em que grande parte do Brasil enfrenta uma onda de calor.

Leia Também

Ainda sobre o consumo elevado de energia, na segunda semana deste mês, por exemplo, a carga do SIN (sistema interligado nacional) bateu 73,5 mil MW (megawatts) médios, número recorde para este período. O maior valor anterior havia sido registrado na última semana de setembro de 2021: 71 mil MW médios.

Também em São Paulo, nesta sexta-feira (22), a cidade bateu o recorde de calor do ano, a carga chegou a bater 81,2 mil MW médios. Na quinta (21), a demanda máxima atingiu pico de 90,9 mil MW às 16h37, a maior desde os 97,3 mil MW registrados às 16h do dia 14 de fevereiro.

Em Goiás, o calor também continua. Apesar de os últimos dias não terem registrados mais de 40º como era previsto, em algumas cidades, incluindo na capital, houve registro de 39º. Para os próximos dias há mínimas de 25º e máximas de 38º, pelo menos até quinta-feira (28), quando, então, a previsão é de que o tempo fique mais ameno.

Leia também: Após onda de calor, já há expectativa sobre a chegada de uma nova frente fria a Goiás


Leia mais sobre: Brasil

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.