27 de maio de 2022
Cidades • atualizado em 12/02/2020 às 23:50

Em campanha, cabos eleitorais provocam confusão na entrada do CEL da OAB

A entrada do Centro de Cultura, Esporte e Lazer (CEL) da OAB, no domingo (22), foi palco de uma confusão, segundo a direção da unidade da OAB/GO. De acordo com o diretor do CEL, Israilton Pereira, um grupo de militantes da chapa OAB Que Queremos chegou no local por volta de 12h30 querendo entrar no Clube, sem que todos apresentassem suas carteiras da Ordem ou convites emitidos pela instituição. 

“Eu pedi a apresentação da carteirinha a todos que fossem advogados. As pessoas que não eram advogadas, podiam entrar com o convite. Todos os advogados têm direito a quatro convites por mês desde que estejam em dia com a Ordem”, disse Israilton.

Segundo o diretor, ele informou às pessoas que não poderia liberar a entrada sem apresentação da carteirinha, mas “de repente as pessoas começaram a ultrapassar e xingar os seguranças”. Em seguida, um veículo parou no portão de entrada do CEL da OAB, com o candidato à vice-presidência pela chapa OAB Que Queremos, Tales Jayme. 

Continua após a publicidade

“Ele disse que queria entrar, eu falei que poderia se mostrasse a carteirinha, porque temos que ter o controle das pessoas que entram no CEL. Ele mostrou e eu deixei entrar. Quando o veículo entrou, as pessoas foram entrando junto”, explicou o diretor.

40 minutos depois, militantes da chapa OAB Independente também chegaram no CEL. Segundo Israilton, todos mostraram as carteirinhas, solicitaram os convites e entraram. Já o pessoal da OAB Forte, estava próximo ao local fazendo uma exposição de carros antigos e não entrou no Clube. 

Questionado sobre a impossibilidade de fazer campanhas dentro do Centro de Cultura, Esporte e Lazer, o diretor informou ao Diário de Goiás que ficou tão nervoso e decepcionado com a situação que o único requisito para entrar era a apresentação da carteirinha. “Imagina se acontece alguma coisa lá dentro, se rouba um carro? Eu preciso ter o controle das pessoas que estão lá. A grande maioria não era advogado. Se fosse, porque não quiseram apresentar a carteirinha? Colocaram a minha segurança e de outras pessoas em risco. Estou decepcionado. Advogados não deveriam se comportar desse jeito”, ressaltou.

Continua após a publicidade

Nesta segunda-feira (23), a OAB Forte divulgou uma nota de repúdio ao que aconteceu no CEL da OAB. “Há muitos anos a advocacia goiana vem construindo sua história que até agora só deixou um legado de respeito, honradez e credibilidade. Nenhum advogado hoje, sob qualquer pretexto, pode vilipendiar nosso nome”. 

Leia mais:

Leia mais sobre:
Cidades