27 de maio de 2024
Cidades • atualizado em 28/04/2024 às 11:56

Novo decreto impõe restrições mais duras em Catalão; “Situação é de calamidade”, afirma prefeito interino

Prefeito interino, João Sebba (PP), durante entrevista coletiva
Prefeito interino, João Sebba (PP), durante entrevista coletiva

Na manhã desta segunda-feira (25), o prefeito interino de Catalão, João Sebba (PP), concedeu entrevista coletiva para apresentar novo decreto, válido a partir da presente data, com medidas protetivas para o enfrentamento da Covid-19 no município, como a determinação que os estabelecimentos da cidade permaneçam abertos apenas até às 18h, sob pena de multa e cassação para aqueles que descumprirem as normas de funcionamento e higiene.

Questionado sobre a atual situação do município com relação à propagação do novo coronavírus, João Sebba afirmou ser preocupante, pelo fato de não haver mais nenhuma vaga de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos hospitais da cidade. “A situação é a pior possível. Ainda temos algumas vagas de enfermaria na cidade, mas as UTIs estão todas ocupadas”, lamenta.

João Sebba foi contaminado com a doença e recebeu alta na última sexta-feira (22), quando assumiu a prefeitura de Catalão, enquanto o prefeito eleito, Adib Elias (Podemos), permanece internado também em tratamento contra Covid.

Conforme boletim médico mais recente, Adib, que chegou a ser intubado, foi extubado e responde bem aos tratamentos.

Embora não tenha participado da coletiva, o secretário de saúde do município, Velomar Rios, foi citado por João Sebba, que além de parabenizar todos os profissionais da saúde pelo trabalho que vêm desempenhando, afirmou que “Velomar está levando o barco, devagar, a um porto seguro”.

O prefeito interino relatou, ainda, que o secretário recusou o convite para ser vacinado de imediato, por “não fazer parte do grupo de risco”.


Leia mais sobre: / Catalão / Cidades / Destaque 2 / Notícias do Estado