27 de maio de 2024
Reajuste

Novo aumento do salário mínimo está previsto para a próxima semana; veja como fica

Com o aumento, o salário mínimo está previsto para aumentar de R$ 1.302 para R$ 1.320 a partir do dia 1° de maio
O aumento será anunciado pelo presidente Lula nesta segunda-feira (1°), Dia do Trabalhador. (Foto: Divulgação)
O aumento será anunciado pelo presidente Lula nesta segunda-feira (1°), Dia do Trabalhador. (Foto: Divulgação)

Anunciado desde a transição entre os governos e aprovado pelo Congresso Nacional no final de dezembro do ano passado, o novo reajuste no salário mínimo deve entrar em vigor a partir desta segunda-feira (1°), data em que se comemora o Dia do Trabalhador.

Com o aumento, o salário mínimo está previsto para aumentar de R$ 1.302 para R$ 1.320. A informação foi divulgada ainda em março de 2023 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O aumento, que custar cerca de R$ 4,3 bilhões aos cofres públicos, já foi acordado com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e com o ministro do Trabalho, Luiz Marinho.

Vale lembrar que o governo é obrigado a reajustar o valor do piso salarial para cobrir pelo menos a inflação acumulada do ano anterior. O reajuste considera a inflação, mais a média do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) dos últimos cinco anos.

Assim, a fórmula de cálculo sobre os valores, mudou nos últimos anos. Até 2019, eram considerados dois fatores: o Produto Interno Bruto (PIB) e a inflação, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), ambos do ano anterior ao reajuste. 

A partir de 2020 houve mudanças. O salário mínimo passou a ser reajustado apenas com base na inflação, sem levar em consideração o crescimento da economia.

Para 2023, a fórmula deve mudar mais uma vez. Lula anunciou estar insatisfeito com a maneira que é feita atualmente e quer voltar ao modo como era feito antes da pandemia, considerando também o PIB.

O que muda com o aumento do salário mínimo?

Com o salário mínimo reajustado, afeta positivamente o poder de compra do assalariado. Isso porque, se os preços de produtos e serviços aumentam, mas a remuneração não, é provável que o trabalhador não consiga arcar com as despesas básicas, como alimentação, educação e moradia, conforme é garantido por lei. 

Além disso, o salário mínimo rege vários benefícios pagos pelo governo, como aposentadoria e seguro-desemprego, abono salarial e outros.

O salário mínimo é o valor mínimo pago aos beneficiários de aposentadorias, pensões e auxílios-doença do INSS. A partir de maio, conforme previsto, os segurados devem passar a receber, no mínimo, R$ 1.320.


Leia mais sobre: / / / Economia

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.