logomarcadiariodegoias2017

Reprodução / Internet
huck lula

SILAS MARTÍ
CAMBRIDGE, EUA (FOLHAPRESS) - Luciano Huck abriu sua fala num encontro no MIT, em Cambridge, nos Estados Unidos, fazendo elogios a Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal que votou contra o habeas corpus para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Ministro Barroso, o senhor me representa", disse Huck ao magistrado, que assistia à palestra no auditório.

O apresentador da TV Globo, que chegou a ensaiar uma candidatura ao Planalto, disse que "é simbólico o que está acontecendo no Brasil", aludindo à prisão do petista.

"Não acredito em salvador da pátria, em herói e nem em vilão", afirmou Huck. "Não consigo enxergar hoje no Brasil ninguém que nos venda o projeto de um país grande. Não consigo ver ninguém vendendo o país que a gente está querendo construir."

Ele também deixou claro que não será candidato, lembrando que o prazo para definirem as candidaturas já se esgotou e ele está nos Estados Unidos e não no Brasil.

"Dizem que quando você sai à noite em Las Vegas pode voltar sem dente para a casa", afirmou Huck. "As pessoas que saíram na noitada aqui ficaram com medo de voltar filiado a um partido. Achei melhor ficar em casa."

Mas o apresentador não abandonou um discurso com cara de campanha. Elogiando Jorge Paulo Lemann, o homem mais rico do Brasil e um dos patrocinadores do encontro, disse que há "cabeças brilhantes" no país, mas que elas não estão na política.

"Minha cabeça mudou muito nesse último ano. A hora que você começa a pensar políticas públicas de um jeito maduro é uma das coisas mais sedutoras que pode acontecer na cabeça de alguém", disse Huck.

"Meu papel agora, se eu puder, é mobilizar a minha geração para que se aproxime da política."

Ele disse também que é preciso "ressignificar o sistema político, um sistema feito para que ele não se renove". 

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH