02 de março de 2024
TJGO • atualizado em 07/12/2023 às 17:20

Justiça nega pedido de prisão domiciliar a Naçoitan Leite, que vira réu por tentar matar a ex

A juíza justificou que a unidade prisional tem atendimento médico periódico e, sempre que necessário, o preso é encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento
Naçoitan Leite foi preso no dia 23 de novembro, após atirar contra a ex-mulher e o atual namorado dela. (Foto: reprodução)
Naçoitan Leite foi preso no dia 23 de novembro, após atirar contra a ex-mulher e o atual namorado dela. (Foto: reprodução)

Logo depois que o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) recebeu a denúncia contra o prefeito de Iporá, Naçoitan Leite (sem partido), denunciado por invadir e atirar contra a ex-mulher e o namorado dela, a juíza Izabela Cândida Brito Silva também negou o pedido de prisão domiciliar.

“A unidade prisional tem atendimento médico periódico e, além disso, sempre que necessário, o preso é encaminhado à Unidade de Pronto Atendimento para acompanhamento prioritário, o que, à toda evidência, foi observado no caso em apreço, conforme documentação apresentada pelo próprio pleiteante”, escreveu a magistrada no documento.

O pedido de prisão domiciliar era referente à situação de saúde de Naçoitan Leite, que após ser preso passou mal, tendo sintomas como vômitos e diarréia e, mais recentemente, a suspeita de um princípio de infarto. Na época, ele foi encaminhado à uma unidade hospital e, atualmente, ainda está sob cuidados médicos.

A defesa do prefeito de Iporá, representada pelo advogado Francisco Silva, inclusive, afirmou que Naçoitan responderá à Justiça dentro de 10 dias, já que a decisão cabe recurso por ter sido em primeira instância.

Sobre o caso, Naçoitan Leite foi preso no dia 23 de novembro, depois que se entregou à polícia de Iporá pelos tiros disparados contra a ex. Imagens de câmera de segurança do local registraram o momento em que o prefeito invadiu a casa com uma caminhonete, segundo a polícia.

A invasão aconteceu na madrugada do dia 18, também de novembro, e o prefeito de Iporá fugiu após o crime. A Justiça, portanto, determinou a prisão de Naçoitan e, recentemente, a então vice-prefeita, Maysa Peres Cunha Peixoto (PP), foi empossada temporariamente na última segunda-feira (4) após uma determinação do Ministério Público de Goiás (MP-GO).


Leia mais sobre: Notícias do Estado

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.