16 de julho de 2024
Saúde

Mutirão da região noroeste atende pacientes com risco cardiovascular, identificados por IA

Cerca de 400 moradores foram agendados para atendimento no evento, promovido pela Prefeitura de Goiânia
Foto: SMS
Foto: SMS

A Prefeitura de Goiânia realizou, neste fim de semana, a 5ª edição do Mutirão 2024, na região noroeste de Goiás. Dentre os mais de 40 serviços oferecidos na área da saúde, foram atendidas pessoas com risco de doenças cardiovascularas, como Acidente Vascular Cerebral (AVC) e infarto.

Os pacientes foram identificados por meio de Inteligência Artificial (IA). O sistema, implementado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), funciona de maneira integrada, com base nos prontuários médicos das mais de 800 mil pessoas cadastradas no programa Estratégia Saúde de Família.

De acordo com a pasta, após a identificação, os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) fazem busca ativa, indo até a casa dos pacientes. No local, são preenchidos dois formulários, com informações sobre hábitos alimentares, tabagismo, doenças como diabetes e hipertensão e práticas de atividade física, e informações gerais sobre a família, condições de moradia, situações de insalubridade e quantidade de pessoas que moram na casa.

Ainda na visita, é agendada uma consulta médica para o paciente onde ele será avaliado por um clínico, no caso de necessidade ele da um eletrocardiograma e é encaminhado pra um cardiologista. Até o momento, 40.887 pessoas foram identificadas com mais de 20% de risco cardiovascular. Mais de 6.700 já passaram por consulta médica nas unidades de saúde.

Cerca de 400 moradores da Região Noroeste, identificados como do grupo de risco, foram agendados para atendimento no mutirão. No local, eles fazem o eletrocardiograma e passam pela consulta médica. “São pessoas selecionadas pelo sistema de inteligência, e aqui estamos oferecendo a elas um atendimento humanizado, preventivo e ágil. Daqui, são encaminhados para acompanhamento na Atenção Primária”, frisou o secretário de Saúde de Goiânia, Wilson Pollara.

“Com a identificação precoce do problema podemos, com adoção de medidas preventivas, evitar que essa pessoa tenha complicações sérias no futuro. Por isso, estamos cuidando antes inclusive de pessoas que não apresentam nenhum sintoma, é realmente algo fantástico e inovador na saúde em Goiânia”, destacou o prefeito, Rogério Cruz.

Pollara ressalta que o modelo não só melhora o atendimento individual, mas também contribui para o desafogar a rede de saúde pública. “Ao prevenir complicações sérias, reduzimos a demanda por procedimentos emergenciais, aliviando a carga sobre nossas unidades hospitalares”, aponta.


Leia mais sobre: / / / Cidades