21 de julho de 2024
Cidades • atualizado em 03/08/2020 às 21:29

MP do Acre quer tornozeleira eletrônica em goleiro Bruno em jogos do Rio Branco

Contratado pelo Rio Branco, Bruno talvez tenha de disputar jogos com tornozeleira eletrônica
Contratado pelo Rio Branco, Bruno talvez tenha de disputar jogos com tornozeleira eletrônica

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC) encaminhou um pedido à Justiça do Acre, neste domingo (02/08), para que o goleiro Bruno Fernandes, do Rio Branco, use tornozeleira eletrônica durante cumprimento da pena no regime semiaberto. A informação é do Globo Esporte.

LEIA MAIS: Rio Branco, do Acre, anuncia contratação de goleiro Bruno Fernandes e é achincalhado nas redes sociais: “contrataram um assassino”

“Aqui a regra é que todo reeducando que está no regime semiaberto use a tornozeleira eletrônica. Não seria diferente. Está aqui no estado cumprindo semiaberto, porque não seria? Vale para todos” afirma Tales Tranin, promotor de justiça da 4ª Promotoria Criminal de Execução Penal e Fiscalização de Presídio do Estado, em sua argumentação. “Salvo engano, o processo do Bruno não veio nem do Rio de Janeiro ainda, eles iam pedir o processo. Ele tava cumprindo lá, e onde o reeducando vai, o processo vai atrás”

Com o pedido aceito, Bruno precisará usar tornozeleira eletrônica, mesmo durante as partidas de futebol e treinamentos. Caso haja necessidade de manutenção, esta também ficará a cargo do Rio Branco.

Em 2013, Bruno foi condenado a 20 anos e nove meses pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, sequestro e ocultação de cadáver. Conforme a sentença, Bruno foi apontado como autor do assassinato de Eliza, com quem teve um relacionamento e um filho. Ela desapareceu em 2010, aos 25 anos, e foi considerada morta pela Justiça. Na época, o goleiro jogava no Flamengo. 


Leia mais sobre: Cidades