25 de junho de 2022
Diário de Goiás

Morte de peixes em Piracanjuba foi criminosa, diz delegado

Nesta segunda-feira, 28, vários peixes apareceram mortos no Rio Meia Ponte, próximo ao distrito de Rochedo, localizado em Piracanjuba. De acordo com o delegado Luziano Severino de Carvalho, que está à frente da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra o Meio Ambiente (DEMA), nesta quarta-feira, 30, uma equipe será encaminhada ao local para fazer a análise.

A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semad), que está fazendo as investigações, tinha o laudo previsto para ser divulgado nesta terça-feira, 29. No entanto, não ficou pronto.

Segundo Luziano, mesmo sem um laudo comprovatório, a causa da morte pode estar ligada às primeiras chuvas, que acabaram espalhando os resíduos que se acumularam no Rio.

Continua após a publicidade

“Quero ter uma linguagem muito próxima com a Semad, para que a gente possa esclarecer devidamente o que aconteceu. Mas nos foi relatado que a água está muito poluída, com uma carga orgânica grande. Com a chuva, os resíduos acabaram afetando os peixes”, pontuou.

Para o delegado, o fato pode se tratar de um crime, que precisa ser devidamente investigado. Ele ressalta a grande porcentagem de resíduos que é despejado no Rio Meia Ponte, e o descaso com o meio ambiente.

“Um fato como esse, é tido como catástrofe. Cerca de 30% do esgoto é lançado no Meia Ponte. Além disso, vários empreendimentos precisam rigorosamente serem vistoriados. Temos que nos preocupar com a quantidade de água dos rios, em recuperarmos as nascentes e matas ciliares. Não se pode lançar efluentes sem o devido tratamento. Algum crime teve aí. Além de um dano ambiental gravíssimo. ”, inteirou.

Continua após a publicidade