27 de maio de 2022
Pesar • atualizado em 14/05/2022 às 15:10

Morre jornalista goiano José Barbacena Neto, aos 36 anos

Em nota, o prefeito Rogério Cruz manifestou os seus sentimentos
Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação
Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação

Morreu, neste sábado (14), aos 36 anos, o jornalista José Barbacena Neto. Natural de Morrinhos, o profissional, que atuou em Goiânia como repórter, editor e colunista no Jornal Diário da Manhã e assessor de imprensa, estava internado em uma unidade hospitalar da capital. Ele possuía problemas renais e havia sido diagnosticado com um tumor no estômago.

Em nota, o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, manifestou seus sentimentos de pesar. “É com profundo pesar que recebo a notícia do falecimento do jovem e talentoso jornalista José Barbacena de Oliveira Neto, a quem tive oportunidade de conhecer, e que nos deixou tão precocemente no fim da manhã deste sábado”, escreveu, em nota, o gestor.

“Barbacena, como era conhecido pelos seus muitos amigos, era brilhante na profissão que ele escolheu exercer. A sua redação era elegante, impecavelmente correta e precisa. Mas esse atributo, embora fosse admirável, não era o que mais se destacava nele. Tratava-se um ser humano iluminado, generoso, diplomático, resiliente, alegre e carinhoso. Em seu curto período ao nosso lado, deixou-nos lições valiosas”, acrescentou o chefe do Executivo.

Continua após a publicidade

Colega de profissão de Barbacena, o secretário de Comunicação da Prefeitura de Goiânia, Tony Carlo, também divulgou nota à imprensa com relação ao ocorrido. “A partida do querido “Barba”, como era conhecido pelos amigos e colegas de profissão, consterna toda a categoria de jornalistas de Goiânia. José Barbacena trabalhou por muitos anos no jornal Diário da Manhã como repórter, editor e colunista, e integrou importantes assessorias de imprensa com grande talento. A dedicação, comprometimento, inteligência e capacidade são marcas do profissional e conhecidas por todos que o cercavam”, ponderou.

“José Barbacena foi sinônimo de gentileza, cordialidade, simpatia, prestatividade, doação. Jamais passou despercebido, pois emanava luz de sabedoria e evolução moral, que tocava a todos. Mesmo em face de inúmeras batalhas contra problemas de saúde, nunca deixou de ofertar sorriso, afeto e esperança. Lutou bravamente, e nos deixa profundas lições consubstanciadas no amor pela vida, pela família e pelos amigos. Neste momento de imensa dor, unamo-nos em orações pela alma do estimado Barba, por seus familiares e amigos, e estejamos certos de que os ensinamentos que ele nos legou serão eternos”, acrescentou o secretário.

Leia mais sobre:
Cidades