10 de agosto de 2022
Brasil

“Moro viola sempre o sistema acusatório”, diz procuradora em nova conversa divulgada pelo The Intercept

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

O site The Intercept Brasil divulgou na madrugada deste sábado (29/6), mais detalhes da conversa entre procuradores do Ministério Público Federal, em mensagens privadas trocadas em grupos com integrantes da Lava Jato. Segundo as conversas, Moro  violava “sempre o sistema acusatório”.

Continua após a publicidade

A frase que chama atenção nas conversas divulgadas é da procuradora Monique Cheker  “Moro viola sempre o sistema acusatório e é tolerado por seus resultados”, disse em 1º de novembro, uma hora antes de o ex-juiz anunciar ter aceito o convite de  Bolsonaro para se tornar ministro da Justiça.

De acordo com o Intercept, os  integrantes da força-tarefa da Lava Jato lamentavam que aceitasse o cargo,porque com isso colocaria em dúvida a legitimidade e o legado da operação. Os questionamentos éticos envolvidos na ida do juiz ao ministério poderiam, e certa forma dar  maior credibilidade às alegações de que a Lava Jato teria motivações políticas.

De acordo com a reportagem do Intercept, um dia antes do anúncio de Moro, em 31 de outubro a procuradora Jerusa Viecili, integrante da força-tarefa em Curitiba, escreveu no grupo Filhos do Januario 3: “Acho péssimo. Só dá ênfase às alegações de parcialidade e partidarismo.”

Continua após a publicidade

Assim, a também  procuradora Laura Tessler, concordou com a avaliação: “Tb acho péssimo. MJ nem pensar… além de ele não ter poder para fazer mudanças positivas, vai queimar a LJ. Já tem gente falando que isso mostraria a parcialidade dele ao julgar o PT. E o discurso vai pegar. Péssimo. E Bozo é muito mal visto… se juntar a ele vai queimar o Moro.” Viecili completou: “E queimando o moro queima a LJ”. (Com informações do The Intercept).

Ainda segundo a publicação do Intercept, no dia seguinte, 1º de novembro quando Moro seria mesmo  ministro da Justiça, outros procuradores do MPF não envolvidos com a Lava Jato conversaram sobre o assunto e em conversas de um grupo com procuradores de vários estados, fizeram várias críticas.

Veja a íntegra divulgada pelo The Intercept Brasil:

Ângelo – 10:00:07 – Cara, eu não confio no Moro, não. Em breve vamos nos receber cota de delegado mandando acrescentar fatos à denúncia. E, se não cumprirmos, o próprio juiz resolve. Rs.

Monique – 10:00:30 – Olha, penso igual.

Monique – 10:01:36 – Moro é inquisitivo, só manda para o MP quando quer corroborar suas ideias, decide sem pedido do MP (variasssss vezes) e respeitosamente o MPF do PR sempre tolerou isso pelos ótimos resultados alcançados pela lava jato

Ângelo – 10:02:13 – Ele nos vê como “mal constitucionalmente necessário”, um desperdício de dinheiro.

Monique – 10:02:30 – Se depender dele, seremos ignorados.

Ângelo – 10:03:02 – Afinal, se já tem juiz, por que outro sujeito processual com as mesmas garantias e a mesma independência? Duplicação inútil. E ainda podendo encher o saco.

Monique – 10:03:43 – E essa fama do Moro é antiga. Desde que eu estava no Paraná, em 2008, ele já atuava assim. Alguns colegas do MPF do PR diziam que gostavam da pro atividade dele, que inclusive aprendiam com isso.

Ângelo – 10:04:30 – Fez umas tabelinhas lá, absolvendo aqui para a gente recorrer ali, mas na investigação criminal – a única coisa que interessa -, opa, a dupla polícia/ juiz eh senhora.

Monique – 10:04:31 – Moro viola sempre o sistema acusatório e é tolerado por seus resultados.