13 de junho de 2024
Política

Misael Oliveira critica gestão da Sanesc, com a afirmativa de que pode faltar água em Senador Canedo

O ex-prefeito e pré-candidato à administração da cidade criticou os projetos executados nos últimos anos, com relação ao abastecimento de água da cidade, e apresentou soluções que deveriam ter sido feitas pela empresa
Foto: Arquivo/DG
Foto: Arquivo/DG

O ex-prefeito de Senador Canedo e pré-candidato ao pleito de 2024, Misael Oliveira (PRD), demonstrou, em entrevista à Rádio Bons Ventos, nesta segunda-feira (3), preocupação com relação ao sistema de abastecimento de água no município. De acordo com o político, os projetos executados nos últimos anos não são viáveis para solucionar o problema existente na cidade.

Misael teceu críticas à gestão da Agência de Saneamento de Senador Canedo (Sanesc), presidida por Cainã Teodoro. De acordo com o pré-candidato, o dirigente foi indicado pelo senador e também ex-prefeito da cidade, Vanderlan Cardoso (PSD), e ambos não cumpriram, segundo o político, com “o dever de casa”.

“Quem indicou o presidente da Sanesc foi o senador Vanderlan e não foi feito o dever de casa”, disse, com a afirmativa de que a barragem do Ribeirão Sozinha resolveria o problema de abastecimento de água no município. “Sabe-se lá por que cargas d’água, quais os interesses, se é deixar a população sofrendo para depois aparecer o salvador da pátria – às vezes tem isso na política -, fizeram foi uma adutora de 400 milímetros para o Morumbi, que não tem água para mandar para lá”, enfatizou. “Fizeram papel inverso e isso me preocupa muito, inclusive corre até o risco de faltar água”, salientou Misael.

De acordo com o ex-prefeito e pré-candidato à administração de Senador Canedo, o Ribeirão Sozinha possui aproximadamente a mesma vazão do Ribeirão João Leite, com 2.9 metros cúbicos por segundo. A barragem no local resolveria, segundo ele, o problema da cidade “pelos próximos 40 anos”.

“Se Deus tivesse me dado a graça de ser um senador da República, ter R$ 800 milhões em seis anos, igual teve para distribuir de emendas para o estado, eu teria feito as barragens e teria resolvido 100% o problema da água em Senador Canedo”, ponderou Misael.

O ex-prefeito disse ter, inclusive, deixado o projeto pronto para execução. A proposta, no entanto, não foi executada. “O Cainã chegou a confessar, em off, que não fez a barragem porque o secretário de planejamento, que era também indicação do senador Vanderlan, não quis deixar”, relatou Misael, ao jornalista Danny Souza, durante o programa Goiás da Gente.

“Eu deixei o projeto pronto, no final de 2015, registrado no Crea. O prefeito que me sucedeu, Divino Lemes, também, não sei por qual motivo, não quis fazer a barragem”, contou, com a ressalva de ter pensado existirem condições para a execução do projeto na atual gestão. “Logo nos primeiros dias de mandato falei: Caina, tá aqui o projeto de resolver o problema da água em Senador Canedo. É só fazer essa barragem, fazer uma estação de tratamento lá embaixo e o reservatório do Alta Vista desce por gravidade e dá para bombear dali para cima para o Morumbi e tá resolvido o problema”.

No entanto, foi confessado, em seguida, que o projeto não foi feito pelo fato de ser inviável. “Inviável nada, é porque o projeto era de minha autoria”, disse. “Politicagem. Aí o povo padece. Os caras ficam falando que amam a cidade, mas quem ama cuida”, acrescentou Misael.

Vale ressaltar que a ex-primeira-dama do município, Izaura Cardoso (PSD), esposa de Vanderlan Cardoso, é também pré-candidata à Prefeitura de Senador Canedo. Outros pré-candidatos ao pleito são: o atual prefeito da cidade, Fernando Pelozzo (UB), o ex-prefeito Divino Lemes (PDT), a esposa do deputado estadual Júlio Pina, Cristiane Pina (Solidariedade), dentre outros nomes.


Leia mais sobre: / / Cidades / Política