24 de maio de 2024
Alerta

Mesmo com tendência de desaceleração, epidemia de dengue continua sendo uma preocupação

Até o momento Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), confirmou o registro de 110 mortes por dengue neste ano em Goiás
Dengue ainda preocupa e estado pede ajuda no combate ao Aedes aegypti. (Foto: Marco Monteiro/Secom).
Dengue ainda preocupa e estado pede ajuda no combate ao Aedes aegypti. (Foto: Marco Monteiro/Secom).

Segundo a superintendente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), Flúvia Amorim, os casos de dengue estão avançando em Goiás, mas em ritmo menor, com tendência de desaceleração. Entretanto, ela pondera que essa situação não significa despreocupação.

“A população deve continuar eliminando de suas casas todo e qualquer material, utensílio ou dispositivo que acumula água parada e que se transforma em criadouro do mosquito Aedes aegypti” enfatiza. A superintendente destaca que só neste ano foram notificados 205.965 casos de dengue. No ano de 2023, houve 124.503 notificações da doença.

Até o momento Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), confirmou o registro de 110 mortes por dengue neste ano em Goiás. As vítimas eram de diferentes faixas etárias e moravam em 42 municípios goianos. Outros 142 óbitos suspeitos estão em investigação. Os municípios que registraram maior número de mortes pela doença são Anápolis (21), Luziânia (10), Valparaíso de Goiás (7) e Goiânia (6).

A SES informa que tem adotado iniciativas para garantir a assistência imediata às pessoas com os sinais característicos de dengue. Até agora, a pasta coordenou a instalação de 223 Gabinetes de Combate à Dengue nas secretarias municipais de saúde, nos hospitais e em unidades básicas de saúde.

Vacinação contra a dengue

A superintendente alerta a população a vacinar crianças e adolescentes de 10 a 14 anos contra a dengue. O imunizante, que protege contra os quatro sorotipos da doença, está disponível em centros de saúde de todos os municípios goianos. A aplicação é realizada em duas doses, no intervalo de três meses uma da outra. O Ministério da Saúde repassou a Goiás158.505 doses, das quais 52% foram aplicadas. A superintendente destaca que o Ministério da Saúde deve enviar novas remessas a serem usadas como segunda dose.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Notícias do Estado / Saúde

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019