29 de maio de 2024
Oportunidades • atualizado em 27/10/2023 às 16:14

Mercado da construção civil abriu 1,6 mil vagas por mês em 2023, diz Sinduscon-GO

Ademi-GO aponta que somente na Grande Goiânia devam ser abertas mais de 6 mil vagas de emprego até o fim do ano
Até o fim do ano, segmento deve gerar mais de seis mil postos de trabalho (Divulgação)
Até o fim do ano, segmento deve gerar mais de seis mil postos de trabalho (Divulgação)

Segundo dados de um levantamento realizado pelo Sindicato da Indústria da Construção em Goiás (Sinduscon-GO), em Goiás, o mercado da construção civil abriu, em média, 1,6 mil vagas de emprego por mês neste ano. A pesquisa também constatou que dentre as vagas abertas mensalmente no estado em 2023, 700 delas são só para Goiânia.

Na base sólida desses números estão os trabalhadores da construção civil, categoria que evolui junto com o setor, que na última quinta-feira (26) celebraram o seu dia. E foi a busca por melhores oportunidades de trabalho que atraiu, há mais de 30 anos, o mestre de obras Edivar José de Oliveira, de 52 anos, do pequeno município de Tabocas do Brejo Velho, na Bahia, para Goiânia.

Atuando há 26 anos na GPL Incorporadora, o mestre de obras se diz uma pessoa curiosa e apaixonada pela profissão, tendo feito de tudo um pouco dentro dos canteiros de obras da incorporadora. “Já fui pedreiro, carpinteiro, encarregado geral e, em 2008, após incentivo fiz um curso de mestre de obras, eu fui promovido ao cargo”, relata.

Novas oportunidades

Uma estimativa da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO) aponta que somente na Grande Goiânia devam ser abertas mais de 6 mil vagas de emprego até o fim do ano. Segundo dados da edição de 2021 da Pesquisa Anual da Indústria da Construção, a mais recente feita pelo IBGE, revelam também que só em Goiás são 2.172 CNPJs ativos no ramo.

Mestre de obras há mais de 15 anos, Edivar José conta que o segredo para o pleno desenvolvimento na profissão é estar sempre buscando aprender. “Lá atrás, quando era ajudante, eu era acompanhado por um mestre de obras já antigo na casa, que me ensinou tudo o que eu sei hoje. Ele me apresentou a oportunidade de crescimento, mas esse crescimento não veio de mão-beijada, me custou horas de estudo e muita dedicação”, ressalta.


Leia mais sobre: / / Geral / Notícias do Estado

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019