21 de julho de 2024
Investigação • atualizado em 03/11/2022 às 16:02

Médica encontrada morta em hospital de Pirenópolis teve morte causada por reação a remédios, aponta laudo

Jayda Bento, de 26 anos, morreu de insuficiência respiratória causada por reação a medicamentos
A médica teria aplicado um anestésico usado para exames de endoscopia. Foto: Reprodução/Instagram
A médica teria aplicado um anestésico usado para exames de endoscopia. Foto: Reprodução/Instagram

A médica que morreu no Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (Heelj), em Pirenópolis, em junho deste ano, teve a morte provocada por insuficiência respiratória após reação a medicamentos, aponta laudo da autópsia. Jayda Bento de Souza tinha 26 anos, e foi encontrada morta no banheiro do hospital por colegas de trabalho, após não aparecer para assumir o plantão.

Inicialmente, a Polícia Civil investigava possibilidade de suicídio ou homicídio, descartados após os resultados dos exames periciais. De acordo com a equipe que atendeu a ocorrência, ao lado da médica havia um frasco de remédio e uma seringa.

Os colegas de trabalho relataram que acharam estranho a médica não comparecer para assumir o plantão médico e fizeram buscas, até a encontrarem, já morta, no banheiro. Após resultado da perícia, foi descartada participação de terceiros e tentativa de suicídio, pois, de acordo com a Polícia, a morte teria sido acidental.

O laudo apontou que não houve superdosagem dos remédios usados, mas sim, uma reação química que provocou insuficiência respiratória, culminando na morte da jovem. Na investigação, a polícia descobriu que a médica utilizou um anestésico de curta duração, comumente usado em exames de endoscopia.


Leia mais sobre: / Notícias do Estado

Luana Cardoso

Luana

Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Editora da coluna Crônicas do Diário. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa. Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024.