17 de maio de 2022
Política

Marconi pede para ser investigado

Brasília – O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, que defende o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), pediu hoje (26) que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, abra uma investigação contra o tucano.

Almeida Castro disse que o pedido partiu do próprio governador, que não teme ser investigado por suas supostas ligações com o empresário goiano suspeito de envolvimento com jogos ilícitos, Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. “Estou fazendo isso a pedido de meu cliente, que quer ser investigado. A imagem dele está sendo deturpada e a investigação servirá para esclarecer tudo isso”, justificou.

O nome do governador é citado nas gravações da Polícia Federal (PF) que integram material da Operação Monte Carlo. A operação resultou na prisão de Cachoeira no fim de fevereiro. No início deste mês, Eliane Gonçalves Pinheiro, chefe de gabinete de Perillo foi exonerada após a divulgação de gravações que indicam que ela recebeu informações de Cachoeira sobre operações policiais sigilosas.

Continua após a publicidade

De acordo com reportagem publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, a campanha de Perillo recebeu recursos de empresas de fachada que serviam para redirecionar para políticos e laranjas recursos da Delta, empresa de construção com a qual suspeita-se que Cachoeira tivesse ligação.

O inquérito da PF na Operação Monte Carlo indica, de acordo com a reportagem, que intermediários de Cachoeira entregaram dinheiro ao governador, no Palácio das Esmeraldas, sede do Poder Executivo local.

Após analisar o pedido de Perillo, o procurador-geral poderá arquivar a representação, pedir mais informações, ou ainda pedir a abertura de inquérito contra o governador ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), já que todo que ocupa o cargo de governador tem foro privilegiado.

Continua após a publicidade

(Informações da Agência Brasil)

Leia mais sobre:
Política