26 de junho de 2022
Eleições 2022

Marconi deixaria “massa de seguidores” frustrados caso não se candidate ao Governo, afirma deputado tucano

Em vez de seguir o "caminho mais fácil" - leia-se o Senado Federal - Hélio defende o retorno de Marconi ao Palácio das Esmeraldas
Deputado Hélio de Sousa (Foto: Alego)
Deputado Hélio de Sousa (Foto: Alego)

Aliado de primeira hora do ex-governador Marconi Perillo, o deputado estadual Hélio de Sousa (PSDB) que mira sua candidatura à Câmara dos Deputados defende que o presidente estadual da legenda trabalhe durante as eleições de 2022 para retornar ao Palácio das Esmeraldas como governador. Caso não se candidate, Perillo deixaria a base tucana do interior e sua “massa de seguidores” frustrados.

Sousa avalia que Marconi não é de “seguir o caminho mais fácil”. Se fosse, teria uma pré-candidatura já posta ao Senado Federal, onde lidera as pesquisas de intenção de voto. Na visão do parlamentar, o caminho mais desafiador para o tucano é uma candidatura ao Governo de Goiás. E assim o será. 

“Quem conhece o Marconi Perillo sabe que ele nem sempre procurou o caminho mais fácil, ele sempre aceitou enfrentar, disputar e buscar resultados em todas, de uma maneira ou outra que ele estava em grandes dificuldades, ele ganhou todas. Ele perdeu uma para senador em que a situação dele era privilegiada e perdeu à mercê circunstâncias”, avaliou o parlamentar que defende a tese que agora, é hora de mais uma vez tentar o Palácio das Esmeraldas.

Continua após a publicidade

“Se você perguntar às lideranças do PSDB, 99% hoje entende que agora é a vez de Marconi Perillo ser o pré-candidato a governador, ninguém pensa o contrário. E por quê? É porque nós escutamos as nossas bases. No interior do estado, todos os locais, o pedido é para que ele seja candidato a governador. Eu, particularmente, e ele deixaria para o estado todo uma massa de seguidores de Marconi Perillo, que ficariam totalmente frustrados e não contemplariam a candidatura dele a senador”, pontuou. Ontem (25/05), a líder dos tucanos na Assembleia Legislativa, Lêda Borges também defendia a tese de que Perillo será o candidato do partido ao Palácio das Esmeraldas.

Leia a entrevista na íntegra como deputado estadual Hélio de Sousa:

Domingos Ketelbey: Como o PSDB está se preparando para a disputa das eleições em 2022? Como o senhor está estruturando sua candidatura já que mira uma candidatura para a Câmara dos Deputados?

Continua após a publicidade

Hélio de Sousa: O PSDB pretende voltar a ter uma chapa de deputados federais competitiva que permita que a nossa representação no congresso atinja os nossos objetivos, principalmente as metas do PSDB nacional. Então, nós somos pré-candidatos nesse projeto e convocados que fomos pelo presidente estadual do PSDB, Marconi Perillo, que entendeu que precisamos então pensar que o crescimento do partido passa também por uma bancada federal. Nesse momento, o PSDB não tem nenhum deputado federal. O deputado que nós tínhamos, o deputado Célio Silveira, ele migrou para outro partido então neste momento a expectativa é que o PSDB precisa, como um dos maiores partidos do Brasil, ele ter uma representação de Goiás, e aí, estamos praticamente escalados, somos 18 pré-candidatos, eu entendo que é uma chapa muito interessante e que com amplas chances de elegermos 3 deputados federais. Temos expectativas e, logicamente, vai depender de uma série de fatores entre elas, aquilo que a gente entende que já é um fato concreto, que é a pré-candidatura do Marconi Perillo a governador se concretize e aí nós podemos sonhar até com a eleição de 4 deputados federais pelo PSDB. 

DK: Seria então a eleição que marcaria a reconstrução do PSDB em Goiás?

Hélio de Sousa: O PSDB não só no Estado, como também a nível nacional, ele enfrentou, nos últimos anos, desgastes, isso é normal, se nós entendermos que aquela maneira que você tem para reconquistar o apoio da opinião pública é mostrar o legado que nós deixamos e aquilo que nós podemos fazer, e nós já fizemos, por exemplo, o maior legado que o PSDB nacional tem é a questão do plano real. Só quem conviveu com o câncer da inflação é que sabe o quanto foi importante o governo do Fernando Henrique Cardoso, pelo PSDB que praticamente criou e reestruturou o plano real. Então, esse legado é fantástico. E Goiás, a medida que o povo vai sentindo e vai comparando o governos, é impossível imaginar hoje em qualquer governante, seja o atual ou outro, que tenha aquilo que Marconi Perillo fez a nível de Hospitais, programas sociais, programas da saúde, programas de infraestrutura, os viadutos de Goiânia, a duplicação de rodovias. Então nós temos discursos e nada melhor do que a opinião pública para analisar e avaliar, e eu vejo que o PSDB está voltando para o poder em Goiás atraves da pré-candidatura de Marconi Perillo. Para mim é algo visível e algo que vai acontecer daqui a 4 meses. 

DK: Mas existem lideranças até mesmo no PSDB que defendem uma candidatura do ex-governador ao Senado. Seria um caminho até mais fácil já que Perillo lidera as pesquisas de intenção de voto para o Congresso. O que o senhor defende?

Hélio de Sousa: Quem conhece o Marconi Perillo sabe que ele nem sempre procurou o caminho mais fácil, ele sempre aceitou enfrentar, disputar e buscar resultados em todas, de uma maneira ou outra que ele estava em grandes dificuldades, ele ganhou todas. Ele perdeu uma para senador em que a situação dele era privilegiada e perdeu à mercê circunstâncias. Agora, se você perguntar às lideranças do PSDB, 99% hoje entende que agora é a vez de Marconi Perillo ser o pré-candidato a governador, ninguém pensa o contrário. E por quê? É porque nós escutamos as nossas bases. No interior do estado, todos os locais, o pedido é para que ele seja candidato a governador. Eu, particularmente, e ele deixaria para o estado todo uma massa de seguidores de Marconi Perillo, que ficariam totalmente frustrados e não contemplariam a candidatura dele a senador. Você não pode buscar o caminho mais fácil, ele tem que buscar o caminho que o povo quer que ele siga e aí sim, nós vamos conhecer o verdadeiro Marconi Perillo. Portanto, eu não tenho dúvida que ele será candidato a governador de Goiás.

DK: Agora a gente vive um cenário que tem se desenhado totalmente diferente e até mesmo inimaginável se fossemos imaginá-lo quatro anos atrás com o presidente nacional do PSDB defendendo até mesmo o apoio à uma candidatura da senadora Simone Tebet, do MDB. Como o senhor avalia essa aliança caso seja consumada, haja vista que o MDB aqui em Goiás já caminha junto com o governador Ronaldo Caiado, inclusive com com o pré-candidato a vice?

Hélio de Sousa: Eu não falo sobre o PSDB, eu sou membro do PSDB, eu falo por mim. Eu entendo que existe essa busca de terceira via, nós sabemos que o nosso pré-candidato João Doria era o nome que ganhou as convenções, e ele entendeu que aquilo que tenha acontecido, inclusive dentro do partido, em que ele foi perdendo espaço e não cresceu junto a opinião pública, ele é uma pessoa inteligente, e abriu mão da sua  pré-candidatura. Eu ainda trabalho com a hipótese de que o PSDB vai ter candidato a presidente, porque nós temos outros nomes. A hora que o João Doria afasta, ele abre uma oportunidade para que para os próximos dias, nas próximas semanas, nós vamos poder pensar em pré-candidatos. E nós temos nomes, e logicamente que vamos trabalhar. Eu, particularmente, só trabalho com essa hipótese, eu não preocupo em tentar trabalhar para candidatos a presidente da República que não sejam do PSDB.

Leia mais sobre:
Política