01 de dezembro de 2023
Devastação • atualizado em 17/08/2023 às 14:35

Mais de 110 pessoas morrem em incêndio catastrófico no Havaí

Cerca de 1300 pessoas ainda estão desaparecidas
Incêndio no Havaí atingiu mais de 86% dos edifícios (Foto Patrick T. Fallon / AFP).
Incêndio no Havaí atingiu mais de 86% dos edifícios (Foto Patrick T. Fallon / AFP).

Desde o dia 8 de agosto, uma série de incêndios florestais atingiram a ilha de Maui, no Havaí. O estado que pertencente aos Estados Unidos da América já contabiliza mais de 110 mortos e cerca de 1300 desaparecidas. As chamas foram alastradas pelos fortes ventos, que causaram sérios danos na região e a proliferação do incêndio foi atribuída a condição seca e alta pressão.

Segundo equipes de resgate que atuam no local, o número de mortos pode aumentar ainda mais nos próximos dias e além disso, a operação de resgate pode ser afetada pelas tempestades previstas para o final de semana.

Leia Também

Na última terça-feira (16), as autoridades informaram que apenas quatro corpos foram identificados e de acordo com o governador do Havaí, identificar as pessoas será uma tarefa “muito difícil”, já que as vítimas do incêndio contam com impressões digitais raramente encontradas.

Para auxiliar na identificação dos corpos, o Havaí recebeu um necrotério móvel, enviado pelas autoridades federais, no dia 16 de agosto.

A estimativa é de que o fogo tenha danificado mais de 2,2 mil edifícios, sendo 86% residenciais.

Visita do presidente

O presidente dos Estados Unidos da América Joe Biden informou que pretende realizar uma visita ao local afetado, o mais rápido possível. Segundo Joe, é importante ter a certeza de que uma visita presidencial não vai atrapalhar as operações.

“Não quero me intrometer. Já estive em várias áreas de desastre. Mas quero ir e garantir que eles têm tudo aquilo de que precisam”, revelou o presidente.

Leia também: Bombeiros combatem incêndio próximo a assentamento em Jataí


Leia mais sobre: / / / Mundo