26 de maio de 2024
Cidades • atualizado em 13/01/2021 às 07:46

Prefeito licenciado, Maguito Vilela não resiste a infecção pulmonar e morre aos 71 anos

Maguito Vilela estava internado na UTI do Albert Einstein, em São Paulo.
Maguito Vilela estava internado na UTI do Albert Einstein, em São Paulo.

O prefeito eleito de Goiânia, Maguito Vilela (MDB) faleceu não resistiu a uma infecção pulmonar no tratamento decorrente a covid-19 e morreu na madrugada desta quarta-feira (13/01). Ele já não estava mais com o vírus no organismo, mas lutava contra suas consequências. A informação foi confirmada pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Goiânia em um comunicado.

O texto diz que a família já está providenciando o traslado do corpo de São Paulo para Goiás e que o corpo deverá ser sepultado em Jataí, terra natal do ex-governador de Goiás. O Hospital Albert Einstein informou que o óbito se deu as 4h40 da madrugada.

“É com profundo pesar que comunicamos o falecimento do prefeito de Goiânia, Maguito Vilela, ocorrido nesta madrugada de 13 de janeiro. Internado desde o dia 22 de outubro para tratar da Covid-19, Maguito lutava contra uma infecção pulmonar diagnosticada na semana passada. A família está providenciando o traslado do corpo de São Paulo para Goiás e ele deve ser sepultado em Jataí, sua terra natal. Assim que tivermos mais informações repassaremos à imprensa”, diz a íntegra do texto enviado pela Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Goiânia.

Vilela havia recebido o diagnóstico com a contaminação do novo coronavírus no último dia 20 de outubro e logo no dia 22 deu encaminhamento à internação no Hospital Orión em Goiânia. Na época, a ideia era que o político fosse observado “por precaução”. No dia 27 de outubro, ele foi encaminhado para a UTI do Albert Einstein, em São Paulo e de não saiu mais do hospital.

No dia 2 de dezembro, os médicos constataram que Maguito não estava mais com a presença do vírus no organismo e três dias depois, os médicos decidiram retirar a ECMO do tratamento do então prefeito eleito. Era um indicativo animador para Vilela que duas semanas antes, havia apresentado um sangramento pulmonar e teve de ser submetido à uma cirurgia.

De lá para cá, Maguito alternou entre momentos de sedação. Entre doses leves e altas de sedativos, ele apresentava uma recuperação lenta e gradual em seu estado de saúde, mas desde o dia 8 de janeiro foi diagnosticado com uma infecção pulmonar com fungos e bactérias no pulmão, o que fez com que ele fosse submetido a altas dosagens de drogas vasoativas. Ele não resistiu ao tratamento. 

Trajetória política

Maguito já foi deputado federal e senador da República, mas foram as gestões à frente do Governo de Goiás e da Prefeitura de Aparecida de Goiânia que se tornaram marcas na sua biografia. No Palácio das Esmeraldas tocou o início da construção de vários Ginásios de Esportes em todo o Estado, revitalizou o Eixo Anhanguera, na Região Metropolitana de Goiânia e implantou programas sociais no interior a dentro. A marca de social, seria uma de suas marcas na atual gestão da Prefeitura de Goiânia.

Em Aparecida, Maguito pegou uma cidade difícil de ser administrada com diversos problemas e deu “uma nova cara” para o município da Região Metropolitana. Tocou obras, fez uma gestão elogiada e conseguiu fazer um sucessor que foi reeleito neste último pleito: Gustavo Mendanha (MDB).


Leia mais sobre: Cidades / Destaque

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.