09 de agosto de 2022
Discussões Econômicas

Lula: ‘nem sempre o PIB crescer significa que gerou mais emprego’

Para o pré-candidato à presidência, os dados podem revelar apenas "acúmulo de riqueza" para o empresariado brasileiro
Lula avalia que o aumento do PIB corresponde ao acúmulo de riqueza da classe empresarial do País. Foto: Reprodução
Lula avalia que o aumento do PIB corresponde ao acúmulo de riqueza da classe empresarial do País. Foto: Reprodução

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que a alta do Produto Interno Bruto (PIB) não se reflete no aumento de salário ou na maior geração de empregos. De acordo com o petista, os dados podem revelar apenas “acúmulo de riqueza” para o empresariado brasileiro. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o PIB cresceu 1% no primeiro trimestre, na comparação com os últimos três meses de 2021.

“Quando o PIB cresce você não recebe aumento de salário porque o PIB cresceu. Nem sempre que o PIB crescer significa que gerou mais emprego. Às vezes nós temos certeza que gerou acúmulo de riqueza em quem é empresário nesse País”, disse o ex-presidente durante debate sobre cooperativismo realizado em Porto Alegre (RS) nesta quinta-feira, 2.

“Agora quando o PIB não cresce você pode ter certeza que o trabalhador perde. Quando ele cresce a gente não tem certeza quem ganha, mas quando não cresce a gente tem certeza que vem para as costas do trabalhador”, continuou Lula.

Continua após a publicidade

Na linha de destacar políticas econômicas que vigoraram durante suas gestões na Presidência, Lula afirmou que no seu governo o salário mínimo era reajustado pela inflação medida pelo INPC mais a variação do PIB de dois anos antes. “Aí você estava dando o aumento do PIB para o trabalhador”, disse o ex-presidente.

O governo de Jair Bolsonaro (PL) tem optado por dar apenas o reajuste pela inflação, garantido pela Constituição, devido à situação delicada das contas públicas. (Por Giordanna Neves e Matheus de Souza/Estadão Conteúdo)