13 de junho de 2024
Polêmica • atualizado em 23/05/2024 às 17:42

Lula chama compras em sites chineses de “bugigangas” e diz que tendência é vetar retomada de imposto

O presidente afirmou que a retomada da taxação prejudica apenas brasileiros de classes mais baixas e que vai tentar negociar com o Congresso
Governo Federal quer retomar a taxação para compras internacionais. Foto: Reprodução
Governo Federal quer retomar a taxação para compras internacionais. Foto: Reprodução

Ao tratar sobre a retomada do Imposto de Importação em compras internacionais de até US$ 50, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se referiu aos produtos comprados em sites chineses como “bugigangas”. Diante da possibilidade de retomada de taxação e da polêmica envolvendo o assunto, Lula afirma que a tendência é vetar a volta do imposto e tentar negociar com o Congresso Nacional.

Ao falar sobre o assunto, Lula mencionou que a maioria do produtos chineses importados são adquiridos por mulheres e jovens, sendo grande parte dos itens categorizados como “bugigangas”. “Como você vai proibir as pessoas pobres, meninas e moças de comprar uma bugiganga, um negócio de cabelo?”, disse o presidente.

Atualmente, a resistência do varejo é justamente o que pressiona o Congresso a ser favorável à volta da taxação. Os sites de compras chineses, como Shein, Shopee e Aliexpress, têm concorrido diretamente com o comércio nacional. Conforme dados da Receita Federal, em 2023, consumidores brasileiros gastaram R$ 6,42 bilhões em um total de pouco mais de 210 milhões de encomendas internacionais.

A isenção federal para compras online de até US$ 50 na importação, com a adesão ao programa Remessa Conforme, entrou em vigor em agosto de 2023. Desde então, compras internacionais de até US$ 50 passaram a pagar apenas o ICMS na importação.

Na visão de Lula, a medida prejudica apenas os brasileiros de classes sociais mais baixas, que costumam aderir a esse tipo de prática comercial. “O que nós precisamos é tentar ver um jeito de não tentar ajudar uns prejudicando os outros, mas tentar fazer uma coisa uniforme. Por isso estamos dispostos a conversar e encontrar uma saída”, completou o presidente.


Leia mais sobre: / / / / Brasil

Luana Cardoso

Luana

Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024. Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa.