20 de maio de 2024
Troca • atualizado em 20/04/2024 às 12:04

Lucas Vissotto é exonerado da Goinfra e Antônio Leite dos Santos Filho assume presidência

Troca vem depois que o Tribunal de Contas do Estado apontou suspeita de sobrepreço de R$ 62,5 milhões em licitação para compra de aduelas do programa Goiás em Movimento Eixo Pontes
Antônio Leite dos Santos Filho é general e já foi diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no governo Bolsonaro. (Foto: reprodução)
Antônio Leite dos Santos Filho é general e já foi diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no governo Bolsonaro. (Foto: reprodução)

Após 15 meses como presidente da Agência Goiana de Infraestrutura e Transportes (Goinfra), Lucas Vissotto foi exonerado e, agora, quem assume é o general Antônio Leite dos Santos Filho. O novo líder da pasta, inclusive, já foi diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no governo Bolsonaro.

Troca na presidência vem logo depois que a Goinfra anunciou que lançaria nova licitação para compra de aduelas do programa Goiás em Movimento Eixo Pontes, após a plenária do Tribunal de Contas do Estado (TCE-GO) decidir, por unanimidade, suspender o processo licitatório aberto em dezembro do ano passado por suspeita de sobrepreço de R$ 62,5 milhões. Além desse processo, os conselheiros do TCE-GO, pediram esclarecimentos da Goinfra sobre outros quatro indícios de irregularidades.

Apesar de repentina a exoneração de Lucas Vissotto, vale lembrar que, há dez dias seis auxiliares do primeiro e do segundo escalões da Goinfra também foram exonerados no mesmo dia em que um contrato de R$ 28 milhões foi cancelado.

O contrato, por sua vez, é alvo da Controladoria Geral do Estado (CGE) e é investigado em sigilo, mas foi revelado que foi assinado em junho do ano passado com a empresa Prime Construções, responsável por reformas de prédios, entre eles os Palácios das Esmeraldas e Pedro Ludovico Teixeira, e os exonerados teriam relação com o assunto.

Depois desse episódio, Lucas Vissotto chegou a conceder entrevistas afirmando ter cancelado o contrato com a Prime Construções e instaurado processos administrativos contra a empresa e servidores para apurar indícios de superfaturamento. O então presidente ainda disse que haveria contratos ainda maiores com suspeita de irregularidades em investigação interna.

Agora, com Vissotto exonerado em meio a um “novo edital” que, segundo ele em entrevista ao O Popular seria lançado na próxima semana, não há informações detalhadas sobre o que acontecerá. O Diário de Goiás entrou em contato com a Goinfra para mais detalhes, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria. O espaço segue aberto.


Leia mais sobre: / / / Notícias do Estado

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.