18 de abril de 2024
ELEIÇÕES 2024 • atualizado em 28/02/2024 às 07:33

Lucas Kitão confronta articulações de Vanderlan Cardoso e lança pré-candidatura a prefeito

Vereador do PSD quer que a escolha seja realizada em uma prévia se houver outros nomes; pré-candidatura tem apoio de outros partidos
Lucas Kitão decidiu ignorar negociações do senador e se colocou na disputa - Foto: Diário de Goiás
Lucas Kitão decidiu ignorar negociações do senador e se colocou na disputa - Foto: Diário de Goiás

O vereador Lucas Kitão lançou, nesta terça-feira (27), sua pré-candidatura a prefeito de Goiânia pelo PSD. A decisão contraria os acertos do principal nome da legenda, o senador Vanderlan Cardoso, presidente estadual do partido.

O senador já falou sobre ser pré-candidato em Goiânia, como mostrou o Diário de Goiás, em entrevista recente com Vanderlan Cardoso. Ele disse que vai decidir em março.

O ex-deputado federal Vilmar Rocha é o grande incentivador da decisão de Lucas Kitão de disputar a Prefeitura de Goiânia. Ele chegou a comparar Kitão com a deputada federal Tabata Amaral (PSB) que lançou pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo no mês passado. Ele se referia à juventude de ambos.

Hora de lançar

“A campanha em Goiânia, dos outros partidos, está um ‘hem, hem, hem’. Ninguém define. Com exceção da candidatura da Adriana Accorsi do PT, uma candidatura lançada, estruturada, orgânica. Está mais que na hora de articulações para definir candidaturas”, afirmou Vilmar Rocha.

Ele comentou sobre a intenção de Vanderlan ser o candidato, negociando apoio com o PT em eventual segundo turno. Vilmar ironizou dizendo que a decisão de Lucas Kitão não deve ser vista como uma “conspiração”. Além disso, deu como exemplo um episódio anterior em que o partido tinha dois nomes e a escolha foi feita em uma prévia.

“Em 2022 foi assim com Francisco Júnior e Virmondes Cruvinel. Antes do prazo, fizemos uma prévia e Francisco Júnior ganhou e foi o candidato. Não há uma conspiração, ele (Kitão) é vereador no segundo mandato, é do partido e quer apresentar pré-candidatura”, defendeu.  

Procurada, a assessoria do senador Vanderlan Cardoso informou que o presidente metropolitano do PSD, deputado federal Ismael Alexandrino, é quem tratará do assunto.

Vereador aglutinou outros partidos

O movimento do vereador aglutinou políticos de outras legendas que aplaudiram a decisão de enfrentar o vácuo interno na legenda quanto ao nome majoritário para 2024.  

O evento teve a presença do presidente nacional do Novo, Paulo Victor Marques.

O chamado Bloco Vanguarda (SD, PSD, PTB, Podemos, UB e Patriota), que vota em conjunto na Câmara Municipal, enviou a vereadora Gabriela Rodart (PTB). Ela anunciou que o bloco vai apoiar Kitão e atacou o atual prefeito, Rogério Cruz (Republicanos): “Este é o último ano (de Cruz na prefeitura), em nome de Jesus”.

Kitão disse que foi provocado a se lançar e que, diante de apenas duas pré-candidaturas já definidas em Goiânia, que não contemplam o grupo que esteve hoje com ele, foi incentivado a tomar a decisão.

“Iniciativa é a palavra do dia para a gente propor a solução que a cidade precisa”, pontuou. “Não existe alinhamento ideológico com o PT. Então (a saída) é ser o candidato para não correr o risco do PSD caminhar com a Adriana, com a esquerda”, relatou.

Prévias

Em resposta ao editor do Diário de Goiás, jornalista Altair Tavares, sobre a estratégia de sair pré-candidato gerar uma grande disputa interna com Vanderlan Cardoso, Kitão disse que o partido caminhava para não ter candidato, embora tivesse nomes para isso. “O PSD é maior do que projetos pessoais, é um partido grande e por isso precisa discutir as candidaturas antes”, defendeu o vereador.

Em seguida, ele alfinetou mais o presidente da legenda: “A prioridade do PSD às vezes, para a gente, parece ser maior em Senador Canedo que aqui”. Para Kitão, o partido não deve se intimidar sem uma pré-candidatura. “Ninguém lança, aí vai sobrar para apoiar quem o presidente do partido decidir”, criticou.

Durante entrevista coletiva, Kitão defendeu a realização de prévias para a definição do nome do partido. Ele disse que só desistiria, inclusive podendo deixar o PSD, se não houver prévias. “Só (saio) se não tiver prévias, se não tiver um processo de discussão democrática”, afirmou o vereador.

Ele disse que vai protocolar um ofício no Diretório Estadual do PSD pedindo o agendamento das prévias. Além disso, vai solicitar o encaminhamento da formação de chapa de pré-candidatos a vereador.

Governo estadual

Lucas Kitão se lançou já sinalizando que busca espaço junto à base do governador Ronaldo Caiado (UB). Disse que espera ter o apoio quando a definição dentro do PSD sobre a validação da candidatura estiver encaminhada.

Em mais de um momento ele descartou afinidades que possibilitem o alinhamento do PSD com o PT. Como destacado acima, a hipótese é articulada entre a deputada federal Adriana Accorsi, definida como a pré-candidata do PT à prefeitura de Goiânia, e Vanderlan Cardoso.

Vanderlan, inclusive, era, até agora, o único nome da legenda cotado como eventual pré-candidato em Goiânia, tendo a esposa, Isaura Cardoso, na disputa como pré-candidata a prefeita de Senador Canedo.


Leia mais sobre: / / / Eleições 2024 / Política

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.