13 de julho de 2024
Explicações • atualizado em 21/09/2022 às 18:25

Lissauer diz que funções legislativas da Alego seguem inalteradas

Presidente da Alego reforçou que as atividades administrativas e parlamentares estão sendo feitas normalmente, sendo a única exceção a suspensão das sessões ordinárias, até 10 de outubro
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Com a aproximação do primeiro turno das eleições 2022, que ocorrerão no dia 2 de outubro, o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD), esclarece que as atividades administrativas e parlamentares continuam funcionando normalmente. Segundo o chefe do legislativo, a única exceção está nas sessões ordinárias, que seguem suspensas do dia 20 de setembro a 10 de outubro.

Lissauer destaca ainda que as atividades parlamentares não se limitam somente ao plenário, cumprindo demandas externas também. “Os deputados representam os 246 municípios goianos e cumprem diversas demandas em suas bases políticas. Portanto, o trabalho desempenhado além das funções legislativas, segue inalterado”, justificou.

O presidente da Alego também deu explicações sobre a suspensão das sessões ordinárias, publicada como Ato normativo no Diário Oficial da Alego, na última segunda-feira (19). “Considerando a iminência das eleições estaduais em outubro do corrente exercício e a fim de evitar o comprometimento dos trabalhos legislativos, uma vez que neste período há necessidade de constantes visitas dos Deputados em suas bases políticas, além do acompanhamento das diversas etapas do processo eleitoral”, pontua.

De acordo com o parlamentar, as matérias mais importantes da pauta foram votadas na semana passada, mas, se fosse necessário, convocaria a bancada novamente. “Não temos nada de urgência para ser votado e, se chegar alguma matéria de urgência ou estiver tramitando alguma outra, que precisa ser votada, a gente convoca rapidamente as sessões e tenho certeza que os deputados acatarão a nossa convocação. Então, por enquanto, estamos com a pauta bastante tranquila e não temos necessidade de votações nessa reta final do período eleitoral”, ressaltou.


Leia mais sobre: / / / Política