21 de julho de 2024
Taxa do agro • atualizado em 17/11/2022 às 09:00

Lissauer determina votação 100% presencial para votar taxa do agro nesta quinta (17)

Presidente da Assembleia Legislativa pediu para que a equipe de TI da Casa bloqueie o acesso dos deputados estaduais que tentarem participar remotamente
O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira, que é contra a taxa do agronegócio (Foto: Divulgação/Alego)
O presidente da Assembleia Legislativa, Lissauer Vieira, que é contra a taxa do agronegócio (Foto: Divulgação/Alego)

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSD), determinou que a votação durante a sessão ordinária desta quinta-feira (17/11) seja feita de forma 100% presencial. O anúncio ocorreu no início da sessão ordinária desta quarta-feira (16/11).

Em seguida, o presidente da Alego pediu para que a equipe de TI da Casa bloqueie o acesso dos parlamentares que tentarem participar remotamente, um mecanismo que passou a valer em 2020 devido à pandemia de Covid-19.

Os projetos que criam uma taxa de 1,65% para uma parte do agronegócio e o Fundo Estadual de Infraestrutura (Fundeinfra) com o objetivo de realizar investimentos a partir do que for arrecadado com essa contribuição devem estar na pauta da sessão com votação 100% presencial.

LEIA TAMBÉM: Taxa do agronegócio não terá caráter obrigatório, mas será condicionante para obter benefícios fiscais

Ligado ao agronegócio, Lissauer já se manifestou contra as propostas, que foram apresentadas pelo governador Ronaldo Caiado (União Brasil) como uma alternativa para compensar a perda de arrecadação devido às mudanças nas alíquotas do ICMS dos combustíveis.

Questionada pelo Diário de Goiás sobre a justificativa para não permitir participação híbrida dos deputados estaduais, a Diretoria de Informação e Divulgação da Presidência da Alego informou apenas que “o presidente que convoca ou não, conforme regimento”.


Leia mais sobre: / / / Política