28 de maio de 2024
Política

Líder de Bolsonaro na Câmara pretende pacificar tensão entre o presidente e Caiado

Major Vitor Hugo pretende agir para pacificar relação entre Bolsonaro e Caiado. Foto: Arquivo/Governo de Goiás.
Major Vitor Hugo pretende agir para pacificar relação entre Bolsonaro e Caiado. Foto: Arquivo/Governo de Goiás.

O líder de Jair Bolsonaro, na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo, pretende atuar como “uma ponte”, para tentar pacificar a relação entre o governador de Goiás, Ronaldo Caiado e o presidente da República. Caiado anunciou nesta quarta-feira (25), rompimento com Bolsonaro. O deputado federal relata que o momento exige calma e que trabalhará para reagrupar os dois aliados.

Em entrevista ao Diário de Goiás, Major Vitor Hugo argumentou que não pretende procurar Bolsonaro e Caiado pelo menos até amanhã (quinta-feira) para tratar da questão. Ele entende que agora é preciso acalmar os ânimos, pensar com mais tranquilidade.

“Eu vejo que o momento é para a gente ter calma, serenidade. Eu sei que o Caiado é uma pessoa que tem uma personalidade forte, o presidente Bolsonaro também. Mas acho que é um momento de tensão que está sendo vivido hoje, mas que com calma e tranquilidade, voltar a conversar e a ter um bom relacionamento que os dois sempre tiveram, desde a época de parlamentar, vamos tentar atuar como uma ponte entre esses dois aliados próximos e não tem motivo nenhum, de modo especial num momento tão difícil como esse estarem distantes”, relatou.

O parlamentar entende as ponderações feitas pelos dois Executivos. Ele avalia que é natural a preocupação de Ronaldo Caiado, por ser médico. Assim como é preciso levar em consideração, as colocações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro, relativas a economia nacional, que poderia resultar em maiores problemas para o Brasil.

“Entendo a preocupação do governador Caiado no que diz respeito a questão sanitária. É natural que ele tenha um impulso para esse viés, por ser médico, mas entendo também a preocupação do presidente da República, quando ao lado das medidas sanitárias que o ministro Mandetta tem muito eficientemente adotado, ele se preocupa também com o não fechamento total da economia brasileira, que poderia acarretar, por exemplo, na falta de suprimentos para a produção de remédios. Poderia acarretar ainda mais no desemprego, dificuldades inclusive pra lidar com outras doenças crônicas que as pessoas enfrentam”, destacou.

Major Vitor Hugo espera contar com outros aliados para construir nova ponte, ainda que seja difícil, entre o governador Ronaldo Caiado e o presidente Jair Bolsonaro. Segundo o parlamentar, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, também ajudará no processo de pacificação de ânimos entre os dois chefes do Poder Executivo.


Leia mais sobre: / / / Destaque 2 / Política