23 de junho de 2024
Cidades

Lauro Machado é o novo procurador Geral do Justiça do estado

Mais votado na eleição para procurador-geral de Justiça de Goiás, na segunda-feira, o promotor de Justiça Lauro Machado Nogueira foi nomeado pelo governador Marconi Perillo. O governador respeitou a vontade da maioria dos promotores e procuradores ao confirmar no cargo mais importante do Ministério Público de Goiás o líder da lista tríplice, compromisso do próprio eleito, referendado pelas organizações da categoria (Associações Goiana e Nacional de Membros do MP – AGMP e CONAMP) -, respeitando também a manifestação dos outros dois mais votados, respectivamente os promotores Mozart Brum Silva e Deusdete Carnot Damacena, de reconhecer a preferência da maioria.

 

O mandato do atual procurador-geral de Justiça, Benedito Torres Neto, termina no dia 11 de março de 2013, quando o novo PGJ será empossado em cerimônia no edifício-sede do MP-GO.

O ato de nomeação ocorreu no Palácio das Esmeraldas em uma rápida cerimônia, segundo o governador, a primeira do gênero, “organizada para colaborar com uma posição que vai contribuir com a paz interna, com a serenidade institucional”, afirmou ele, que já empossou seis procuradores-gerais de Justiça nos diferentes mandatos que exerceu no comando do Executivo Estadual.

Marconi Perillo citou a manifestação “contundente” da CONAMP, contida em ofício entregue logo depois da eleição no MP-GO por Benedito Torres Neto e pelo presidente da AGMP, Alencar José Vital, que abordava a escolha do mais votado como prestígio à democracia interna e respeito à autonomia e independência do MP-GO. “Ela (a manifestação) ajudou a fundamentar minha escolha”, frisou o governador, se dirigindo a Vital. Em seguida, também agradeceu efusivamente ao atual PGJ pelos muitos entendimentos buscados por Benedito Torres Neto para solucionar, junto ao secretariado e a ele próprio, questões da educação, segurança pública, saúde, entre outras.

Benedito Torres Neto já havia discursado, igualmente citando o relacionamento institucional produtivo que o MP-GO teve com o Executivo durante seu mandato, iniciado em 2011. Ele frisou que a escolha do mais votado na lista tríplice externou o perfil “democrata do governador, a quem agradeço agora, na saída, com a nomeação de Lauro, como fiz na chegada, na minha própria nomeação”, citou ele, também o mais votado à época.

Em seu pronunciamento, Benedito Torres Neto ainda destacou que encerra sua gestão na Procuradoria-Geral de Justiça fechando todas as metas com as quais havia se comprometido. Em seguida, abençoou o novo procurador-geral e desejou que ele exerça “a melhor administração já vivida pelo MP-GO”.

A solenidade no Palácio, foi momento oportuno para Lauro Machado agradecer pela vitória na eleição e pela parceria com o grupo de promotores e procuradores que apoiou a candidatura, representado por diversos deles no Palácio das Esmeraldas.

O registro especial coube ao atual PGJ, que recebeu um cumprimento inspirado na sua própria forma de falar sobre a missão de comandar a administração do MP: “Enfrentamos juntos um longo inverno e agora um grande verão se iniciará” afirmou o nomeado. Surpreso com a cerimônia, Lauro Machado se disse honrado, sensibilizado e agradecido pelo gesto do governador, organizando um ato de nomeação prestigiado por autoridades do governo e do MP-GO. “É um ato que respeita a vontade da classe, que fortalece e valoriza a instituição”, reforçou.

Lauro Machado enfatizou ainda que a escolha do mais votado possibilitará uma grande união no Ministério Público e finalizou, destacou que seu foco como procurador-geral de Justiça de Goiás será estimular no MP-GO uma “atuação firme e eficaz no enfrentamento das demandas sociais”, um dos compromissos da campanha dele.

Perfil
O novo Procurador-geral de Justiça de Goiás completará 20 anos de Ministério Público em agosto, onde ingressou por concurso público em 1993. Na instituição, foi promotor titular de cinco comarcas. Ele tem 43 anos e é natural de Goiânia. É formado em Direito com especialização em processo penal, ambos na Universidade Federal de Goiás. Atuou no Tribunal do Juri; foi titular de cinco comarcas, sendo o titular da 41ª promotoria de Justiça de Goiânia (atribuição nos crimes apenados com reclusão); foi também promotor-corregedor, presidente da AGMP por dois mandatos, vice-presidente da CONAMP e chefe de Gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça na gestão de Benedito Torres Neto. Confira mais informações do currículo (clique).


Leia mais sobre: Cidades