24 de maio de 2022
Eleições 2012

Jovair ainda não conseguiu chegar a Sandes Júnior

CANDIDATOS APOIADOS POR MARCONI NUNCA CHEGARAM SEQUER AO SEGUNDO TURNO, PARA PREFEITO DE GOIÂNIA. ÚLTIMAS PESQUISAS PROJETAM QUE JOVAIR CAMINHA PARA SER O PIOR ENTRE OS FRACASSOS DOS ALIADOS MARCONISTAS NA CAPITAL

A eleição de Nion Albernaz (PSDB) a prefeitura de Goiânia, em 1996, foi decisiva para as chamadas oposições conquistar o governo do Estado em 1998. Unida, a oposição elegeu Nion e criou a base para a vitória de Marconi Perillo ao governo. Governador, porém, Marconi jamais elegeu um prefeito de Goiânia. 

Continua após a publicidade

Pior: nunca teve o gosto de ter o seu candidato sequer disputando o segundo turno na capital. Jovair, ao que tudo indica, manterá a tradição de Marconi em Goiânia: a de passar longe da vitória.

Em 2000, o candidato natural da base governista era Darci Accorsi, na época no PTB. O PSDB, porém, não abriu mão de tentar unificar governo e prefeitura. Lançou a então deputada federal Lúcia Vânia, com apoio de Marconi e do tucanato. Lúcia obteve 22,82% dos votos válidos e conquistou a medalha de bronze… Aliás, o terceiro lugar. Depois, Pedro Wilson (PT) venceria Darci Accorsi no segundo turno. 

Quatro anos depois, após uma intensa disputa interna (na época, parecia a escolha indireta do próximo prefeito), Sandes Júnior vingou como o candidato da base marconista. Reuniu 11 partidos em sua coligação, mas assistiu Iris Rezende (PMDB) e Pedro Wilson (PT) disputarem o segundo turno – Sandes obteve 18.73% dos votos válidos e ficou em terceiro. Iris venceu.

Continua após a publicidade

Em 2008, Iris foi reeleito com 74,16% dos votos válidos, a maior vitória da história de Goiânia. A base aliada repetiu a candidatura de Sandes Júnior e a performance foi ainda pior – o pepista terminou a eleição com 15.75% dos votos válidos (100.335 votos).

A situação atual evidencia ser ainda mais desesperadora. Com 12,9% dos votos válidos de acordo com a pesquisa Grupom/730, Jovair teria hoje 83.500 votos. Ou seja, o petebista corre o risco de não atingir nem a votação de Sandes contra Iris, em 2008, e tornar-se o maior derrotado da era Marconi em Goiânia. 

É pouco? Sim, convenhamos, é pouquíssimo. Quase nada.


 

Confira os resultados da eleição em Goiânia de 2000 a 2008:

2000

1º turno

Pedro Wilson (PT) – 201.336 votos (37,18%)

Darci Accorsi (PTB) – 162.706 (30,05%)

Lúcia Vânia (PSDB) – 123.594 (22,82%) 

Mauro Miranda (PMDB) – 32.164 (5,94%)

Miriam Bianca (PSTU) – 7.251 (1,33%)

Orlando Alves (PRTB) – 5.005 (0,92%)

2º turno 

Pedro Wilson (PT) – 294.935 (55.76%) – Eleito

Darci Acorssi (PTB) – 233.958 (44,23%)

 

2004

1º turno

Iris Rezende (PMDB) – 299.912 (47,47%)

Pedro Wilson (PT) – 145.503 (23,03%)

Sandes Júnior (PP) – 118.334 (18,73%)

Darci Accorsi (PL) – 28.514 (4,51%)

Rachel Azeredo (PFL) – 22.341 (3,53%)

Isaura Lemos (PDT) – 10.977 (1,73%)

Rannieri Lopes (PTC) – 3.915 (0,62%)

Rubens Donizeti (PSTU) – 2.293 (0,36%)

2º turno 

Iris Rezende (PMDB) – 349.133 (56,70%) – Eleito 

Pedro Wilson (PT) – 266.541 (43,29%)

 

2008 

1º turno

Iris Rezende (PMDB) – 472.319 (74,16%) – Eleito

Sandes Júnior (PP) – 100.335 (15,75%)

Gilvane Felipe (PPS) – 33.129 (5,20%)

Martiniano Cavalcanti (PSOL) – 31.066 (4,88%)

 

Leia mais sobre:
Eleições 2012