16 de abril de 2024
Acenos positivos • atualizado em 21/04/2023 às 12:43

João Doria elogia Haddad e diz que avaliação de gestão dos primeiros 100 dias é “positiva”

Ex-governador de São Paulo disse que torce para que arcabouço fiscal seja aprovado
Ex-governador de São Paulo e empresário, João Doria (Foto Felipe Ferugon/Lide)
Ex-governador de São Paulo e empresário, João Doria (Foto Felipe Ferugon/Lide)

Ex-governador de São Paulo e crítico as gestões petistas, o empresário e organizador da Lide Brazil Conference, João Doria elogiou nesta sexta-feira (21/04) a política econômica dos primeiros 100 dias da gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conduzida pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT).

O empresário fez a avaliação em entrevista coletiva no encerramento da Lide Brazil Conference, em Londres. Para ele, era necessário separar a postura durante a campanha eleitoral e o governo eleito. Doria lembrou inclusive, quando venceu Fernando Haddad nas eleições municipais em 2016 e disse que sempre teve uma relação respeitosa com o petista.

Haddad inclusive, tem conduzido um bom trabalho frente ao Ministério da Fazenda. Ele tem conseguido bons resultados e até surpreendido o setor produtivo. “A minha visão é de que esses primeiros 100 dias onde o ministro Fernando Haddad à frente do Ministério da Fazenda conseguiu mais resultados positivos, até do que se esperava”, pontuou.  

“Inclusive, surpreendeu positivamente o mercado financeiro, produtivo e setor de indústria e comércio. Esperavam um ministro mais enraizado em políticas estatizantes e sindicalistas. Não tem sido siso que o ministro do Fernando Haddad tem demonstrado”, complementou.

Postura pacificadora com Campos Neto e o Banco Central, avalia João Doria

Doria também elogiou a condução de Haddad no diálogo junto ao Banco Central com o presidente Roberto Campos Neto. Na visão do empresário: o ministro da Fazenda tem tido uma postura pacificadora e de diálogo diante do embate que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem travado. “Ele tem sido porta-voz do entendimento, nessa relação com o Banco Central ele tem se destacado pelo bom diálogo com o Roberto Campos Neto.”, destacou. 

O setor produtivo também tem se agradado da postura de Haddad. “Ele tem sido um bom ouvinte escutando o setor privado, em São Paulo e outros estados. O setor produtivo se sente bem quando tem um ministro da Fazenda que escuta e quer escutar. A avaliação é positiva do Haddad nesses primeiros cem dias.”


Leia mais sobre: / / / Brasil / Política

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.