26 de maio de 2024
Polícia Civil

Conclusão do inquérito sobre caso da morte de Jéssica Canedo apresenta reviravolta; entenda

Polícia afirma que a própria teria criado perfis falsos para disseminar fake news sobre caso con Whindersson Nunes
Jessica Canedo morreu em dezembro de 2023. (Foto: reprodução/Redes sociais)
Jessica Canedo morreu em dezembro de 2023. (Foto: reprodução/Redes sociais)

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) chegou ao fim do inquérito que investigava as circunstâncias da morte de Jéssica Vitória Canedo, de 22 anos, em dezembro do ano passado. Nesta quarta-feira (6), a conclusão da investigação diz, segundo as autoridades, que foi a própria jovem quem criou e divulgou conteúdos do suposto relacionamento com Whindersson Nunes e enviou para páginas de fofocas da internet.

Para quem não lembra, Jéssica Canedo foi apontada como affair de Whindersson Nunes, em publicações compartilhadas por páginas de redes sociais como a Choquei e, depois disso, foi atacada nas redes sociais. Ao público, os dois negaram o suposto envolvimento.

“Durante as investigações foi apurado e concluído que todas as fofocas veiculadas pelas páginas foram criadas e divulgadas pela própria jovem. Ela fez toda a montagem e divulgou para as páginas de notícias sobre o seu relacionamento com o humorista”, disse o delegado do caso, Felipe Oliveira Monteiro.

Ainda de acordo com a polícia, Jéssica Canedo teria criado três perfis falsos e se passava por outras pessoas. Com isso, a jovem enviava às páginas de notícias o que seriam “furos”. Dentro disso, ela mesma enviou prints de uma suposta conversa com Whindersson.

Isso foi descoberto após as investigações junto aos responsáveis pelas páginas de fofoca, que apresentaram, à polícia, conversas que tiveram com a própria Jéssica. Em uma dessas conversas, Jessica teria confirmado o envolvimento com o humorista.

A polícia civil chegou a divulgar uma nota sobre o caso, confira na íntegra:

“Nesta data (06/03) a Polícia Civil de Minas Gerais, por meio da Delegacia de Homicídios da 4ª DRPC/Araguari, concluiu as investigações sobre a morte da jovem J. C., ocorrida no dia 22/12/2023.J.C. passava por tratamento em decorrência de uma séria depressão e à época veiculou-se que ela estava sofrendo ataques por meio de redes sociais após uma grande página de fofocas ter divulgado notícias falsas sobre um suposto relacionamento amoroso entre Jéssica e um famoso humorista.

O humorista prestou depoimento à Polícia, negando qualquer tipo de contato com a jovem.Após as investigações, a Polícia Civil identificou a origem das notícias falsas, apurando que a própria jovem foi a responsável pela divulgação do conteúdo a algumas páginas de fofoca, através de perfis falsos criados por ela em uma rede social.Ao final das investigações, foi identificado que Jéssica recebeu uma mensagem cujo conteúdo a instigava a cometer autoextermínio. A autora da mensagem, uma jovem de 18 anos, da cidade de Rio das Ostras/RJ, foi identificada e indiciada pelo crime de instigação ao suicídio”.

Vale lembrar que a mãe de Jéssica contou que ela sofria de depressão e que, com as mensagens de ódio que passou a receber após o episódio, o quadro se agravou. O suicídio da jovem, inclusive, teria sido incentivado por outra pessoa de 18 anos, da cidade de Rio das Ostras, no Rio de Janeiro, e que está sendo indiciada.

Por conta da repercussão, o perfil Choquei, que foi um dos mais criticados na época por compartilhar a informação do suposto caso de Jessica Canedo e Whindersson, está entre os assuntos mais comentados do X (Twitter). Na web, internautas se dividem entre os que acreditam que as páginas de fofoca também foram vítimas, e outros desconfiam da idoneidade das mesmas.


Leia mais sobre: / / / Brasil

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.