29 de maio de 2024
'Vovó quebra-tudo'

Idosa que ameaçou ‘pegar Xandão’ durante atos de vandalismo já foi condenada por tráfico, diz site

A bolsonarista registra condenação por tráfico de drogas com envolvimento de menor de idade na porta da sua residência no município de Tubarão - SC, segundo portal
Dona Fátima participou dos atos golpistas em Brasília no último domingo (8). (Foto: Divulgação - Extra Classe com Reprodução - Rede social)
Dona Fátima participou dos atos golpistas em Brasília no último domingo (8). (Foto: Divulgação - Extra Classe com Reprodução - Rede social)

Uma idosa de 67 anos, que participou dos atos de vandalismo em Brasília no último domingo (8), e que ficou ”conhecida” nas redes sociais após divulgação de um vídeo dela depredando patrimônio público e ameaçando o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), possui antecedentes criminais por tráfico de drogas e envolvimento de menor de idade na porta de sua residência em 2014, segundo informações do portal Extra Classe.

No vídeo divulgado nas redes, dona Maria de Fátima Mendonça Jacinto Souza, é exaltada por outros b bolsonaristas que dizem: ”Dona Fátima, de Tubarão, Santa Catarina, de 67 anos, tá quebrando tudo!”. Em seguida, a vovó do tráfico aparece e completa: “Vamos para a guerra. Vou pegar o Xandão agora!”.

Segundo o portal Extra Classe, a denúncia apresentada pelo Ministério Público de Santa Catarina descreve como a bolsonarista foi descoberta, na época, por policiais militares que faziam vigília na região, conhecida pelo tráfico de drogas na cidade de Tubarão, conforme o órgão.

De acordo com a denúncia, por volta das 3h30 do em que aconteceu o flagrante, policiais viram Dona Fátima sair de casa para varrer a calçada, e em voz alta ela falava: “vem pra cá que não tem ninguém”. Em seguida um usuário de drogas se aproximou e perguntou a ela: “Tem?”, então Fátima respondeu: “Tem.” Na sequência, um adolescente saiu da casa com pedras de crack para o comprador.

Na ocasião, durante depoimento, a idosa argumentou que a casa dela havia sido invadida pelos usuários de drogas, porque ela alugava quartos do imóvel. Portanto, os policiais viram a participação dela no ato criminoso.

Após a denúncia, dona Fátima na época, foi condenada a 4 anos de prisão em regime semiaberto. Ela recorreu e conseguiu diminuição da pena para 3 anos e 10 meses, com prestação de serviços à comunidade.


Leia mais sobre: / / / Política

Leonardo Calazenço

Jornalista - repórter de cidades, política, economia e o que mais vier! Apaixonado por comunicação e por levar a notícia de forma clara, objetiva e transparente.