09 de agosto de 2022
Uso de documento falso

Homem que apresentou atestado falso para folgar no réveillon é indiciado

Para não trabalhar no fim de ano, funcionário de empresa fraudou documento e pode pegar até seis anos de prisão
Atestado falso usado pelo homem. (Foto: Polícia Civil)
Atestado falso usado pelo homem. (Foto: Polícia Civil)

A Delegacia de Polícia Civil de Caldas Novas indiciou um homem suspeito de apresentar um atestado falso para faltar ao trabalho durante o réveillon de 2022.

A investigação começou quando o empregador denunciou o funcionário após desconfiar da autenticidade do atestado apresentado por ele no dia 30 de dezembro. O documento tinha timbre de uma UPA e carimbo do médico, mas sem assinatura.

De acordo com a Polícia Civil, a falsidade foi comprovada com as investigações. O médico cujo carimbo foi aposto ao documento afirmou que não atende na UPA há cerca de 7 anos e que não atendeu aquele paciente.

Continua após a publicidade

Além disso, o profissional de saúde estava fora da cidade na data. O número do CRM também estava errado, com um dígito extra.

A perícia também encontrou diferença de tons de cor na impressão do documento e da diferença do modelo apresentado para o modelo-padrão de atestado médico da UPA. A unidade de saúde informou que o suspeito não recebeu nenhum atendimento médico naquela data.

À Polícia Civil, o homem admitiu que apresentou o atestado médico no setor de recursos humanos da empresa. Contudo, ele não forneceu mais detalhes e ficou em silêncio no interrogatório.

Continua após a publicidade

Ele vai responder pelo crime de uso de documento público falso, cuja pena pode chegar até 6 anos de prisão, e multa.

Leia mais sobre:
Cidades