24 de maio de 2024
Aparecida

HMAP terá mutirão de cirurgias eletivas a partir desta segunda-feira (26)

Ao todo, 200 cirurgias gerais e pediátricas ocorrerão na unidade em dez dias ininterruptos de mutirão
(Foto: Prefeitura de Aparecida de Goiânia)
(Foto: Prefeitura de Aparecida de Goiânia)

A partir desta segunda-feira (26), a prefeitura de Aparecida de Goiânia, realiza um mutirão de cirurgias eletivas no Hospital Municipal de Aparecida Iris Rezende Machado (HMAP), que conta com dez salas de cirurgia e é gerenciado pela Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. Ao todo, 200 cirurgias gerais e pediátricas ocorrerão na unidade em dez dias ininterruptos de mutirão. A força-tarefa, realizada pela primeira vez na cidade, reduzirá o tempo de espera por procedimentos eletivos de média complexidade e praticamente zerará a fila para cirurgia pediátrica em Aparecida.

Os encaminhamentos, avaliações e cirurgias já estavam sendo realizados no HMAP e agora o mutirão acelerará o processo. Já no sábado, 24/9, o hospital realizará um intensivo de avaliações pré-operatórias. Cerca de 120 pacientes serão atendidos por cirurgiões gerais e pediátricos, além de anestesistas. Exames complementares como ultrassonografias poderão ser realizadas também amanhã, de imediato. As internações para as cirurgias começam no domingo, 24. Além disso, ao longo da semana, novas rodadas de avaliações pré-operatórias serão realizadas.

“O HMAP é um hospital completo, orgulho da nossa cidade e com enorme potencial para o povo goiano. Maguito pensou grande quando lutou para construí-lo. Gustavo Mendanha conseguiu um feito ainda maior, que foi colocar o hospital em pleno funcionamento, capaz de atrair a atenção de entidades de excelência, reconhecidas internacionalmente. Tanto que, atualmente, ele é administrado pelo Einstein. Agora, estou trabalhando incansavelmente para ampliar ainda mais os nossos serviços. Esse mutirão é só o começo”, afirma o prefeito Vilmar Mariano.

Menos espera, mais saúde

O secretário de Saúde, Alessandro Magalhães, explica que o primeiro mutirão de cirurgias eletivas do HMAP será possível graças aos investimentos realizados pela Prefeitura e ao empenho da equipe: “O dia a dia do nosso hospital já realiza diversos procedimentos cirúrgicos, tanto de urgência como eletivos. Contudo, nossa proposta juntamente ao Einstein é intensificar o serviço, aproveitando o potencial do HMAP e realizando um volume maior de cirurgias em um curto espaço de tempo, cientes que a redução da espera é fundamental para evitar complicações secundárias ao paciente”.

O gestor explica ainda que o mutirão irá atender, principalmente, os moradores de Aparecida, mas que também poderá auxiliar ainda mais outros municípios. “O HMAP é referência para 55 cidades da região Centro-Sudeste e, como tudo no SUS, depende de pactuação. Neste ano, a Prefeitura ampliou os investimentos no Hospital, que passou a ser administrado por uma nova gestão. Além disso, novas metas foram estabelecidas, os serviços foram reorganizados, mais profissionais de excelência contratados e o que já era de qualidade, ficou ainda melhor”, destaca.

“Queremos ampliar o acesso à saúde cada vez mais. É um privilégio poder colaborar com esse movimento e ajudar tantas pessoas. Aqui no HMAP, a vontade de todo o time é a de contribuir decisivamente para um sistema de saúde de altíssima qualidade, levando uma gota de Einstein para cada cidadão”, diz Felipe Piza, diretor médico do HMAP.

HMAP

Inaugurado em dezembro de 2018, o HMAP é o maior hospital do Estado construído por uma prefeitura. O acesso aos serviços da unidade ocorre via Central Municipal de Regulação. Na pandemia, ele foi referência para o Brasil. No local, foram estruturados 186 leitos de UTI, que receberam pacientes de todo o país, inclusive de Manaus, durante o colapso na rede de saúde do estado do Amazonas.

Em junho deste ano, a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein assumiu a gestão do hospital. O HMAP conta com 235 leitos e tem capacidade para realizar mais de 900 internações clínicas por mês, 665 cirurgias eletivas, 350 procedimentos hemodinâmicos, oito mil consultas médicas ambulatoriais e sete mil exames de imagem mensais.


Leia mais sobre: / / / / Cidades